UOL Notícias Notícias
 
10/08/2010 - 17h41

Fed alivia, mas China impõe tom negativo à Bovespa

São Paulo - A Bovespa seguiu o movimento das Bolsas em Nova York e reduziu as perdas exibidas após o anúncio pelo Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) de medidas que devem ajudar a recuperação da economia através da manutenção de taxas hipotecárias baixas. O Fed também decidiu manter as taxas de juros dos Fed Funds entre zero e 0,25% ao ano e a taxa de redesconto em 0,75% ao ano. A desaceleração da queda da Bolsa doméstica foi, porém, menos intensa: em baixa de 1,13% antes do Fed, a Bovespa fechou com recuo de 0,94%; no mesmo intervalo, o Dow saiu de -0,94% para fechar em queda de 0,51%. Indicadores econômicos ruins sobre a economia dos EUA divulgados mais cedo mantiveram as bolsas norte-americanas em terreno negativo.

O Ibovespa recuperou-se menos porque se manteve preso ao mau humor formado, desde cedo, com o anúncio da China de aumento menor que o esperado das importações do país. O dado chinês fez renascerem temores sobre a desaceleração da economia chinesa e recuperação da economia global e afetou sobretudo as ações de commodities, daí atingir em cheio o Ibovespa, onde o segmento tem grande representatividade. Somente as ações da Vale e Petrobras, que tiveram fortes quedas, representam cerca de 25% do índice.

O Ibovespa caiu 0,94%, para 67.223,23 pontos, a menor pontuação desde 29 de julho. Em campo negativo durante toda a sessão, o índice registrou a mínima de 66.946,43 pontos (-1,35%) e a máxima de 67.836,11 pontos (-0,04%). No mês, passa a apresentar perda de 0,43%; no ano, recua 1,99%. O giro financeiro foi de R$ 5,091 bilhões. Os dados são preliminares.

Vale ON cedeu 1,40%, para R$ 50,00, e PNA, -1,25%, para R$ 43,60 - foi a ação mais negociada na bolsa, com giro de R$ 730,785 milhões. Petrobras ON caiu 0,75%, para R$ 32,90, e PN, -1,46%, para R$ 28,41

Em Nova York, o Dow Jones caiu 0,51%, para 10.644,25 pontos; o Nasdaq recuou 1,24%, para 2.277,17 pontos; e o S&P500 perdeu 0,60%, aos 1.121,06 pontos. Os dados são preliminares.

Embora parcialmente recuperadas pelas decisões do Fed, as bolsas norte-americanas também sofreram com os receios com a desaceleração da economia chinesa e reagiram negativamente a indicadores locais: a produtividade de negócios não agrícolas caiu à taxa anual de 0,9% de abril, contrariando as estimativas de um aumento de 0,3%. O custo unitário da mão de obra no país (preliminar) aumentou à taxa anual de 0,2% no segundo trimestre, quando os economistas previam um aumento de 0,5%. Além disso, os estoques no atacado nos Estados Unidos subiram 0,1% em junho, quando os economistas esperavam uma alta de 0,6%, e houve queda do índice de otimismo das pequenas empresas norte-americanas em julho.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host