UOL Notícias Notícias
 
10/08/2010 - 16h45

Presidente da Gol não vê risco de greve na empresa

São Paulo - O presidente da Gol Linhas Aéreas, Constantino de Oliveira Junior, descartou que os atrasos e cancelamentos nos voos da companhia nos últimos dias tragam impacto à demonstração financeira deste trimestre. "Esta foi uma situação pontual, provocada pela implementação de um novo sistema para escala dos tripulantes. Não vai ser repetida no futuro e não é relevante para mudar as projeções em termos de custos e de receita", afirmou hoje, durante teleconferência voltada a analistas estrangeiros.

Sobre as notícias de que os funcionários da Gol planejam uma paralisação na próxima sexta-feira, Constantino diz não ver risco potencial de greve. Ele comentou que ontem o Ministério Público intermediou conversas entre a companhia e o Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA). Mas o executivo se queixou que os sindicalistas não têm uma clara proposta para apresentar. "Estamos abertos ao diálogo, mas não podemos ter uma conversa sem uma proposição sobre a mesa."

Em nota divulgada na semana passada, os funcionários da Gol sindicalizados ao SNA informaram que pedem melhores salários e planos de saúde, além do fim do excesso de jornada. Hoje, quando questionado sobre a carga de trabalhado de seus tripulantes, Constantino repetiu que a Gol respeita os limites definidos por lei e que os problemas ocorreram unicamente pela instalação do software que atualiza as escalas de trabalho.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h29

    -0,56
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h32

    0,01
    75.611,04
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host