UOL Notícias Notícias
 
13/08/2010 - 14h16

Bolsas europeias fecham sem direção única

Londres - As bolsas europeias fecharam em direções divergentes. O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,25%, para 255,56 pontos. As principais bolsas registraram altas no começo da sessão, influenciadas por uma série de dados econômicos positivos, contrabalançados mais tarde pelo receio sobre a dívida soberana da zona do euro.

A economia da zona do euro cresceu no ritmo mais rápido em quatro anos no segundo trimestre, com expansão anual de 1%. A recuperação foi guiada por um crescimento muito maior do que o esperado no PIB da Alemanha, que avançou 3,7%. Por outro lado, a expansão nas vendas no varejo nos EUA em julho, de 0,4%, foi um pouco menor do que os analistas previam. O índice de sentimento do consumidor da Universidade de Michigan avançou para 69,6 na pesquisa preliminar de agosto, quando as previsões eram de 68,8.

Para Tammo Greetfeld, estrategista do UniCredit, as bolsas europeias deverão ficar de lado no restante do ano, com "os receios sobre o crescimento prejudicando os mercados de ações nos próximos meses. Nossa alocação tem uma tendência defensiva".

As ações de empresas de telecomunicação, menos dependentes do crescimento do que outros setores, tiveram um bom desempenho. As do setor de comércio varejista pressionaram os índices.

Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 0,18%, em 5.275,44 pontos, conseguindo manter ganhos alcançados no começo da sessão e tendo um desempenho melhor do que as outras bolsas da Europa. Embora o dado sobre o PIB da zona do euro tenha ajudado a melhorar o sentimento, operadores disseram que ainda há dúvidas sobre a sustentabilidade da recuperação. A alta foi liderada por Aviva (+5,47%), depois de a companhia rejeitar uma oferta do RSA Insurance Group. A TUI Travel também deu suporte ao FTSE 100, avançando 4,47% depois de o Goldman Sachs elevar sua recomendação. As ações do banco Barclays subiram 2,41%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra DAX fechou em baixa de 0,40%, em 6.110,41 pontos, mas acima da mínima do dia. As ações da siderúrgica ThyssenKrupp subiram 1,51%, depois de a empresa divulgar um balanço melhor do que o esperado hoje e elevar sua perspectiva de receita e lucro para o ano fiscal de 2010. As do Deutsche Bank caíram 0,21% e as da E.On, do setor de energia, cederam 1,56%.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em queda de 0,28%, em 3.610,91 pontos. O crescimento de 0,6% no PIB do país no segundo trimestre ficou bem atrás da melhora da Alemanha. O volume de negócios hoje foi muito baixo, em meio à temporada de férias na França. As ações da Eurotunnel subiram 3,41%, depois de o rating da empresa ser reafirmado pelo Crédit Suisse. As ações do banco Dexia caíram 1,71%.

O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, fechou em baixa de 0,32%, em 20.473,15 pontos. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em queda de 0,64% em 10.275,80 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 0,01%, em 7.300,08 pontos. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host