UOL Notícias Notícias
 
17/08/2010 - 10h41

Bolsas de NY abrem em alta com notícias corporativas

Nova York - As Bolsas de Nova York abriram o dia em alta, impulsionadas por notícias corporativas, com resultados fortes das varejistas Walmart e Home Depot. Às 10h37 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,52% para 10.354,71 pontos, o Nasdaq tinha alta de 0,71% para 2.197,30 pontos e o S&P 500 ganhava 0,65% aos 1.086,70 pontos.

Também ajuda no humor desta terça-feira, a notícia de que a Potash Corp., um dos maiores produtores de fertilizantes do mundo, rejeitou a oferta de compra da BHP Billiton de US$ 38,56 bilhões, que chamou de "totalmente inadequada".

Os indicadores domésticos divulgados hoje de inflação ao produtor (PPI) e obras residenciais iniciadas não alteraram o movimento dos índices futuros, assim como os sinais de desaceleração na Alemanha dados pelo índice Zew não foram suficientes para tirar o apetite do investidor nesta manhã.

O PPI subiu 0,2% em julho, pela primeira vez desde março e o núcleo avançou 0,3%. O número de obras residenciais iniciadas subiu 1,7% em julho, acima da previsão de alta de 0,2%. Já o índice alemão recuou para 14 pontos - seu nível mais baixo desde abril de 2009 -, de 21,2 pontos em julho.

No front corporativo, o Walmart informou que o lucro líquido do segundo trimestre foi de US$ 0,97 por ação, acima de US$ 0,89 por ação no mesmo período do ano passado e da estimativa de lucro de US$ 0,96 por ação. A empresa também elevou as projeções para o ano todo.

A Home Depot divulgou que os lucros cresceram 7% ou US$ 0,72 por ação no segundo trimestre ante o mesmo período de 2009.

A Abercrombie & Fitch informou que obteve lucro de US$ 0,22 por ação no segundo trimestre, revertendo prejuízo de US$ 0,30 por ação no mesmo período do ano passado.

O Barclays irá pagar US$ 298 milhões em multa ao governo dos EUA por causa de acusações de que alterou relatórios e escondeu milhões de dólares em transações feitas com bancos sancionados, incluindo bancos de Cuba, do Irã e da Líbia.

A petroleira BP levantou US$ 5 bilhões em empréstimos junto aos bancos europeus para melhorar sua liquidez diante dos gastos com o vazamento de petróleo no Golfo do México.

O JPMorgan elevou o rating da Honeywell para overweight e rebaixou os da 3M para underweight.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host