UOL Notícias Notícias
 
17/08/2010 - 14h09

Europa fecha em alta com mineradoras e fertilizantes

Londres - As Bolsas europeias fecharam em alta, ajudadas por ganhos no setor de mineração, que foi impulsionado por uma alta nos preços dos metais e pelo noticiário envolvendo acordos corporativos. Os mercados de ações foram beneficiados também pelo bom resultado de leilões de títulos dos governos da Espanha e da Irlanda. Após ter fechado perto da estabilidade ontem, o índice pan-europeu Stoxx 600 ganhou 1,12% e fechou em 258,47 pontos.

Hoje, o instituto de pesquisa econômica ZEW divulgou que o índice de expectativa sobre a economia da Alemanha recuou para 14 pontos em agosto - seu nível mais baixo desde abril de 2009. Mas a informação não desviou os índices europeus da recuperação. A abertura positiva das bolsas norte-americanas também contribuiu. Hoje o Departamento de Trabalho dos EUA divulgou que o índice de preços ao produtor (PPI) teve a primeira alta mensal em quatro meses em julho, avançando 0,2% ante junho, em termos sazonalmente ajustados. A variação ficou em linha com a previsão dos analistas. Já a produção industrial em julho subiu 1,0%, segundo o Federal Reserve (Fed, banco central americano).

No noticiário corporativo, o destaque foi a oferta de US$ 38,56 bilhões da BHP Billiton pela Potash Corp, que foi rejeitada por unanimidade pela diretoria da empresa de fertilizantes. Stephen Taylor, estrategista da Dolmen Securities, disse que os acordos corporativos devem se tornar um fator essencial nos próximos 12 meses, "com as empresas sendo forçadas a adquirir novas fontes de receita e a criar sinergia, em um ambiente de baixo crescimento econômico". A companhia de seguros holandesa Aegon subiu 6,76%. A empresa informou que pretende devolver até o final de junho de 2011 os 2 bilhões de euros remanescentes de um empréstimo tomado do governo durante a crise.

Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou com ganho de 1,41%, a 5.350,55 pontos. No setor de mineração, a Antofagasta subiu 4,39%, a Kazakhmys +3,66% e a Xstrata +4,49%. A exceção foi a BHP, com queda de 2,37%. Entretanto, os volumes de negócios ainda estão baixos. A seguradora Aviva avançou 5,13% e o banco HSBC subiu 2,02%. Amanhã será divulgada a ata da reunião de agosto do Banco da Inglaterra.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra DAX fechou em alta de 1,57%, em 6.206,40 pontos, mesmo com os dados do ZEW. As ações da Kali & Salz Beteiligungs ganharam 5,68%, com especulações de que a empresa pode tornar-se um alvo de aquisição, depois que a Potash rejeitou a proposta da BHP. A siderúrgica ThyssenKrupp teve ganho de 2,50%. A BMW avançou 3,09%. Entre as poucas baixas da sessão estava a Deutsche Telekom, que perdeu 0,66%.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 1,82%, em 3.663,13 pontos, após cinco sessões consecutivas de queda. Todas as ações do índice fecharam no campo positivo, com destaque para a siderúrgica ArceloMittal, que subiu 2,99%. O setor financeiro também teve um bom desempenho, com o banco Dexia ganhando 4,12%, o Crédit Agricole +3,02% e a seguradora Axa +2,90%. A montadora Peugeot avançou 3,08% e a Renault subiu 2,32%.

O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, fechou em alta de 1,27%, em 20.668,57 pontos. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou com ganho de 1,08% em 10.369,50 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 avançou 1,81%, para 7.458,43 pontos. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h59

    -0,48
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h05

    -0,32
    75.363,27
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host