UOL Notícias Notícias
 
18/08/2010 - 17h42

Ibovespa fecha em leve alta de 0,08% com ajuda da Vale

São Paulo - Em um dia sem divulgação de dados relevantes no exterior a direcionar o mercado, as bolsas de valores tiveram uma sessão técnica, com foco doméstico. Na Bovespa, à tarde, as ações da Petrobras acentuaram o movimento de queda e o Ibovespa só não fechou em baixa por causa de uma esticada da alta das ações da Vale na última hora do pregão. O duelo Petrobras x Vale deixou em segundo plano a influência do vencimento de índice futuro e o otimismo das Bolsas de Nova York.

O Ibovespa fechou em alta de 0,08%, aos 67.638,38 pontos. Durante a sessão, oscilou da mínima de 67.005,75 pontos, em queda de 0,86%, à máxima de 67.745,45 pontos, em alta de 0,24%. No mês, mantém-se positiva, acumulando alta de 0,18%; no ano, a perda soma 1,38%. O giro financeiro foi de R$ 6,846 bilhões (os dados são preliminares). Segundo operadores, o vencimento de índice futuro foi tranquilo, sem disputas acirradas.

As ações da Petrobras estiveram sujeitas, sobretudo, à cautela de investidores enquanto aguardam definições sobre o processo de capitalização. Os papéis da estatal, que têm peso de cerca de 12% no Ibovespa, tiveram quedas expressivas, entre as maiores do índice - o papel ON caiu 2,48%, para R$ 31,51, e o PN recuou 2,19%, para R$ 27,68.

Mais do que a falta de uma data precisa para a oferta (sabe-se apenas que será em setembro), o mercado se ressente com a falta de definição do preço do barril de petróleo que será considerado na cessão onerosa da União para a estatal, comenta Dany Rappaport, sócio da Investport. Incomoda o mercado informações de que existiria uma divergência entre o Tesouro e a Petrobras a respeito do valor do barril da cessão onerosa. Para a estatal, interessa que o preço do barril seja o menor possível (comenta-se em torno de US$ 5) e, para o Tesouro, é o contrário (mais perto de US$ 10, segundo estimativas).

Já as ações ON da Vale subiram 0,68% e as PNA, 0,71%. Além de Vale, o Ibovespa reduziu perdas também com o bom desempenho das ações do setor de construção, ainda em reação aos bons resultados do balanço do segundo trimestre. Entre as construtoras, Cyrela ON subiu 1,80%; Rossi ON, +2,36%; Gafisa ON, +1,80%; e PDG Realty ON, 1,04%.

Em Nova York, as bolsas fecharam em alta modesta, garantida sobretudo por ações do setor de comércio varejista, em reação aos bons resultados no balanço do segundo trimestre anunciados desde o início da semana.

Em Nova York, o Dow Jones subiu 0,09%, para 10.415,16 pontos; o Nasdaq evoluiu 0,28%, para 2.215,70 pontos; e o S&P 500 subiu 0,15%, para 1.094,16 pontos, sem forças para passar à faixa dos 1.100 pontos perdida em 11 de agosto, um dia após o Federal Reserve (Fed, banco central americano) admitir uma desaceleração no ritmo da recuperação dos EUA. Os dados são preliminares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host