UOL Notícias Notícias
 
18/08/2010 - 17h55

Petróleo fecha a US$ 75,42 após dados de estoques

Nova York - Os contratos futuros de petróleo fecharam em leve queda, após uma forte movimentação durante a sessão, desencadeada por dados conflitantes sobre os estoques e uma recuperação nas bolsas norte-americanas.

Os contratos de petróleo com entrega para setembro fecharam com queda de US$ 0,35 (0,46%), a US$ 75,42 o barril na Bolsas Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). O petróleo do tipo Brent, negociado na plataforma ICE, com entrega para outubro fechou em queda de US$ 0,46 (0,60%), a US$ 76,47 o barril.

O preço do petróleo caiu fortemente no começo da sessão, ficando abaixo de US$ 74 antes dos dados do Departamento de Energia (DOE) serem divulgados. Esses dados contrariaram um relatório divulgado ontem pelo American Petroleum Institute (API), que mostrava uma forte alta nos estoques. Uma recuperação nos mercados de ações, que têm guiado o petróleo há várias semanas como um indicador do crescimento econômico futuro, também ajudou a commodity a reduzir as perdas.

"O mercado tinha absorvido um relatório baixista do API, e quando vieram os dados do DOE, muito menos negativos (para os preços), o mercado ganhou um impulso", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates, que monitora a indústria do petróleo.

O DOE informou que os estoques de petróleo bruto diminuíram em 818 mil barris na semana encerrada no dia 13. Os estoques de gasolina ficaram praticamente estáveis, enquanto os de destilados, que incluem óleo de aquecimento e diesel combustível, subiram em 1,069 milhão de barris.

O relatório do governo, que influencia mais o mercado, contrastou com os dados do API, que mostraram uma alta de 5,8 milhões de barris nos estoques de petróleo no fim da tarde de ontem, fazendo com que os preços da commodity caíssem hoje.

Na semana passada, os estoques de petróleo e derivados subiram para o nível mais alto da história, desde que o relatório foi criado, 27 anos atrás. Embora até 1990 o relatório tenha sido mensal, os níveis recordes sugerem que sinais de um enfraquecimento na economia global poderiam deixar os produtores com muito petróleo.

Assim, os operadores continuam a se voltar para a economia mais ampla e para os mercados de ações para avaliar se a demanda futura vai se equiparar à oferta.

"Houve uma reação automática aos dados do DOE, e agora vamos seguir a partir daí", disse Matt Smith, analista do mercado de petróleo da Summit Energy. "O mercado de petróleo está analisando a situação atual e observando como ela vai se desenvolver no restante do ano", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host