UOL Notícias Notícias
 
20/08/2010 - 14h20

Bolsas europeias fecham em queda

Londres - As principais bolsas europeias fecharam em queda, com as preocupações econômicas globais ofuscando as notícias sobre negócios no front corporativo. O índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 0,69% e fechou em 252,15 pontos.

Segundo Joshua Raymond, estrategista de mercado da City Index, os temores sobre a recuperação global estão fazendo com que os investidores preservem seu caixa, com um número de clientes reduzindo suas posições compradas em papéis mais arriscados, como os das mineradoras e dos bancos. Ele destacou, no entanto, que os mercados estão no pico do mês de férias e os volumes de negócios estão mais fracos nas sextas-feiras.

"O resultado disso é que muitos movimentos estão sendo excessivamente exacerbados. Então, embora os dados econômicos divulgados na quinta-feira nos EUA tenham sido fracos, eu me questiono se eles realmente irritaram tanto assim os investidores para justificar a queda de 1,5% nos principais índices europeus", disse ele.

Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou com perda de 0,31%, em 5.195,28 pontos, puxada pelos contínuos temores sobre uma recessão de duplo mergulho nos EUA. Na semana, o índice acumulou queda de 1,5%. As ações das mineradoras recuaram, refletindo o declínio dos preços das commodities. Kazakhmys caiu 3,96%. Na mão contrária, as ações da Dana Petroleum subiram 6,8%, depois da Korea National Oil Corp. lançar uma oferta hostil para comprar a companhia britânica, de 1.800 pence por ação. A BHP Billiton ganhou 0,61%, em meio à contínua especulação sobre a possível aquisição da fabricante de fertilizantes canadense Potash Corp. O BG Group teve o melhor desempenho da sessão, com alta de 5,97%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra DAX fechou em baixa de 1,15%, em 6.005,16 pontos, com as quedas das bolsas dos EUA e o enfraquecimento do euro, que atingiu a mínima em uma semana, pesando sobre os papéis de empresas com exposição internacional. Embora o índice tenha ficado acima da marca dos 6 mil pontos, o sentimento dos investidores ainda permanece brando após a atenção do mercado ter migrado nesta semana dos resultados corporativos para os dados macroeconômicos, principalmente depois que os recentes indicadores apontaram um cenário negativo, destacaram traders. O índice encerrou a semana com queda de 1,72%. As ações da Daimler caíram 1,63%, enquanto as da BMW perderam 2,26%.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em baixa de 1,30%, em 3.526,12 pontos, em meio à falta de notícias positivas novas e a queda das bolsas norte-americanas. Os relatos de que o governo francês cortou sua previsão de crescimento da economia do país em 211 de 2,5% para 2%, embora tenha prometido mais medidas de austeridade orçamentária, também ajudaram a aumentar o mau humor do mercado. O índice acumulou declínio 2,34% na semana.

GDF Suez recuou 1,30% com as notícias de que a companhia está interessada em adquirir alguns ativos na Alemanha. EADS cedeu 1,76%, depois de ter a recomendação para suas ações rebaixada por uma corretora e notícias de que o governo dos EUA está apelando contra uma recente decisão da Organização Mundial do Comércio (OMC) favorecendo sua controlada Airbus. A montadora Renault declinou 2,76%, enquanto a Technip perdeu 0,6%, depois de a companhia anunciar um acordo de colaboração estratégia de longo prazo com duas subsidiárias da Petronas, da Malásia.

O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, fechou em queda de 1,22%, em 19.870,46 pontos. Na semana, o índice acumulou perda de 2,94%. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou com retração de 1,40% em 10.094,30 pontos, e encerrou a semana com baixa de 1,76%. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou com alta de 0,05%, em 7.370,53 pontos. O índice terminou a semana com ganho de 0,96%. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host