UOL Notícias Notícias
 
21/08/2010 - 16h28

Secretário de Segurança do Rio diz que UPPs continuam

Rio - O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, afirmou que o confronto entre policiais e traficantes em São Conrado, bairro da zona sul do Rio, não vai mudar os planos de ocupação de favelas com Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). "O nosso plano é de debelar as armas que garantem territórios. Esse plano, que prevê 40 UPPs, atingindo 160 comunidades, está completando dois anos e não será uma crise como a de hoje que vai nos desviar daquilo que pretendemos. Infelizmente, essa situação se repete no Rio de Janeiro desde que o fuzil chegou aqui, em 1988, na própria Rocinha", afirmou Beltrame.

Ele não quis falar sobre prazos para implantação de UPP no Morro do Vidigal, vizinho à Rocinha, e onde os criminosos estariam reunidos antes do confronto. "Um dos erros graves do Rio de Janeiro foi a toda crise mudar a sua política. Não vamos fazer isso porque temos resultados concretos no que diz respeito a pacificação, no que diz respeito a índices de criminalidade".

De acordo com o secretário, dos dez presos por manterem 35 pessoas como reféns no Hotel Intercontinental, nove tinham antecedentes criminais. "E um a gente acredita que forneceu nome falso, por isso estamos checando as digitais", afirmou o secretário. Ainda segundo Beltrame, a polícia não tinha informações sobre a reunião de criminosos. Eles encontraram-se com policiais que faziam patrulha de rotina.

Em nota, o governador Sérgio Cabral (PMDB), elogiou a ação dos policiais e acenou com a possibilidade de UPP no bairro. "Importante destacar a ação da polícia. Firme, profissional e com efetividade. Não temos nenhuma ilusão, desde o primeiro dia de governo, sobre o tamanho do nosso desafio. Mas temos a convicção de que estamos no caminho certo. Em breve, o povo do Vidigal e o povo da Rocinha estarão livres do poder paralelo", diz o texto divulgado.

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis também divulgou nota, em que explica que hotéis têm esquemas de segurança, mas que "esta estrutura não pode ser ostensiva e amedrontadora". A entidade também elogiou a ação policial. "O trade turístico do Rio de Janeiro reconhece que o atual governo vem investindo de forma contundente na segurança da capital e do Estado do Rio de Janeiro e, tanto o cidadão que aqui mora e trabalha, como nossos visitantes, já convivem com uma percepção de segurança muito mais estruturada".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host