UOL Notícias Notícias
 
24/08/2010 - 17h11

Petróleo fecha a US$ 71,63, menor nível em dois meses

Nova York - Os contratos futuros de petróleo fecharam hoje no menor nível em mais de dois meses, caindo abaixo de US$ 72 o barril. A commodity foi influenciada pela queda das bolsas norte-americanas e pelo dado sobre o mercado imobiliário do país, que forneceu mais sinais de uma recuperação econômica lenta.

Os contratos de petróleo com entrega para outubro fecharam com queda de US$ 1,47 (2,01%), a US$ 71,63 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Na plataforma ICE, o petróleo do tipo Brent fechou com redução de US$ 1,24 (1,68%), a US$ 72,38 o barril.

Os preços do petróleo caíram em dez das últimas 11 sessões, após terem atingido uma máxima de US$ 82 no começo do mês. Nesse período, foram divulgados dados econômicos decepcionantes, uma tendência que não mostra sinais de estar arrefecendo.

Hoje, a Associação Nacional de Corretores de Imóveis divulgou que as vendas de imóveis residenciais usados nos EUA caíram 27,2% em julho, para a taxa anualizada de 3,83 milhões de unidades, nível mais

baixo em 15 anos.

"O dado sobre a venda de imóveis residenciais foi horrível, embora já fosse esperado", disse Matt Smith, analista do mercado de petróleo da Summit Energy. "Os investidores estão assustados, fugindo do risco". O dado foi o último de uma série de relatórios econômicos ruins, o que inclui uma alta contínua nos pedidos de auxílio-desemprego e a deterioração da perspectiva do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) sobre o crescimento econômico.

A retração na venda dos imóveis e a queda nos mercados de ações hoje ofuscaram o enfraquecimento do dólar, o que geralmente ajuda a impulsionar os preços do petróleo, tornando a commodity mais barata para compradores que usam outras moedas. A divisa norte-americana caiu para o menor nível em 15 anos em relação ao iene, e também recuou ante o euro.

O alto nível de desemprego e os receios sobre a economia tiveram um forte impacto na demanda por petróleo e combustíveis, o que manteve os estoques nos EUA no maior nível em quase 27 anos. Consumidores reduziram seus gastos com viagens e outras despesas, deixando o mercado saturado com gasolina, em meio à importante temporada de férias de verão.

Os grandes estoques ajudaram a fazer com que o preço da gasolina caísse para o menor nível em oito meses hoje. A gasolina reformulada (RBOB) com entrega para setembro fechou com queda de US$ 0,0316 (1,68%), a US$ 1,8494 o galão.

Enquanto isso, os operadores estão esperando pelo relatório do Departamento de Energia (DOE) sobre os estoques de petróleo e derivados, que sai amanhã. Analistas esperam que os estoques de petróleo bruto registrem uma queda de 200 mil barris, segundo uma pesquisa da Dow Jones. Hoje, o American Petroleum Institute (API) divulga o seu próprio relatório, mas será preciso uma mudança significativa para ter algum impacto na perspectiva negativa. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host