UOL Notícias Notícias
 
25/08/2010 - 08h40

Dia mais seco do ano muda rotina de paulistanos

São Paulo - A cidade de São Paulo viveu ontem o dia mais seco do ano, com 17% de umidade relativa do ar, segundo medição do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) realizada no Mirante de Santana. O que era apenas incômodo - boca e pele secas, garganta arranhando e irritação nos olhos, entre outros sintomas - agora já faz prefeitura, escolas e moradores mudarem a rotina.

Depois de três dias em estado de alerta e quatro em atenção, a Secretaria Municipal de Saúde colocou em prática seu Plano de Contingência para Situações de Baixa Umidade. Entre as recomendações estão evitar atividades ao ar livre ou em locais com aglomeração. Aulas de educação física devem incluir apenas atividades leves. Caso o índice de umidade caia abaixo de 12% e seja decretada situação de emergência, elas poderão ser interrompidas. Não houve recomendações específicas do governo para a rede estadual.

Nos colégios particulares, a determinação também é mudar a rotina. "A orientação é que se passem exercícios leves e, conforme for possível, se altere o período das aulas de educação física", diz o presidente do Sindicato das Escolas Particulares, José Augusto de Mattos Lourenço.

Nos hospitais, a entrada de crianças, adultos e idosos com problemas respiratórios aumentou nos últimos dias. O movimento no Hospital Municipal Infantil Menino Jesus, no centro, cresceu 30% no inverno. No Hospital São Camilo, zona norte, o fluxo de pacientes foi intenso ontem. "Gripes e infecções virais e respiratórias, como asma e pneumonia, são desencadeadas e agravadas pelo tempo seco", explica Carlos Eduardo Favatto, coordenador do pronto-socorro do Hospital São Camilo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h10

    -0,20
    3,263
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h12

    0,27
    63.930,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host