UOL Notícias Notícias
 

21/11/2008 - 08h15

Senado argentino aprova estatização do sistema de previdência

ANSA
BUENOS AIRES, 21 NOV (ANSA) - O Senado argentino aprovou e converteu em lei o projeto oficial que elimina o sistema de previdência privado e de fundos de pensão no país, reunificando os dois em um só, administrado pelo Estado.

O projeto proposto pela presidente Cristina Fernández de Kirchner foi aprovado com 46 votos a favor, 18 contra e uma abstenção, com apoio do bloco governista e de opositores de centro-esquerda.

O sistema privado de aposentadorias não era aceito pelo governo por este entender que as Administradoras de Fundos de Aposentadorias e Pensão (AFJP, na sigla em espanhol), integrada por dez fundos, cobravam comissões muito altas aos trabalhadores e porque os fundos arrecadados eram destinados a investimentos de alto risco.

A oposição de direita e centro-direita se opôs à iniciativa alegando que esta constitui uma "confiscação" dos fundos investidos.

O governo enfrentou ainda dificuldades para aprovar alguns artigos do projeto, como os que se referiam aos recursos que seriam administrados pela Administração Nacional de Segurança Social (Anses), órgão público que administrará o sistema de previdência social.

O sistema de previdência privado da Argentina foi instituído na década de 90 pelo ex-presidente Carlos Menem e seu ex-ministro da Economia, Domingo Cavallo, com propostas de políticas neoliberais, embora pertencesse ao Partido Peronista, o mesmo da atual presidente.

Hoje, os fundos contam com cerca de 9,5 milhões de trabalhadores afiliados, embora apenas 3,6 milhões contribuam efetivamente, e cerca de 77 bilhões de pesos (equivalente a US$ 23 bilhões).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host