UOL Notícias Notícias
 

16/02/2009 - 18h59

Uribe elogia presidente Lula por seu 'equilíbrio político'

ANSA
SÃO PAULO, 16 FEV (ANSA) - O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, disse nesta segunda-feira em São Paulo que tem um "profundo respeito" pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que segundo ele é "dono de uma grande virtude, a sagacidade no equilíbrio político".

"Sempre escuto com muito respeito e apreço o amigo e presidente Lula. É um grande homem", afirmou Uribe.

O mandatário, que durante o dia cumpriu em São Paulo uma agenda essencialmente comercial, antecipou que amanhã, quando estiver em Brasília, agradecerá pessoalmente a Lula pela participação do Exército brasileiro nas operações de resgate dos seis reféns libertados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) há duas semanas.

O Brasil cedeu um grupo de oficiais e dois helicópteros Cougar para o procedimento, que foi coordenado pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e contou com a participação da senadora colombiana Piedad Córdoba.

Pela manhã, em um seminário que reuniu 250 empresários, Uribe afirmou que sua presença no Brasil tem como um dos principais objetivos impulsionar as relações comerciais entre os dois países.

"Queremos intensificar as relações com o Brasil. Nosso volume comercial em 2002 era de US$ 800 milhões, e agora é de US$ 3,1 bilhões", explicou. O colombiano lembrou, porém, que a balança comercial revela "um superávit muito acentuado a favor do Brasil". Segundo ele, o déficit colombiano é de US$ 1,4 bilhão.

Para reduzir esta diferença, Uribe apontou como alternativa o incremento do fluxo de investimentos brasileiros na Colômbia, o que para ele é uma solução mais eficiente que a simples amplificação do comércio.

O mandatário elogiou as empresas brasileiras, afirmando que são capazes de "gerar investimentos produtivos de longo prazo, sem dar margem a especulações".

Em uma tentativa de seduzir o setor industrial vizinho, Uribe reiterou que a Colômbia possui 45 zonas francas em seu território, onde a tributação é 50% mais baixa. Além disso, ressaltou que o país oferece um ambiente de segurança para os negócios, o que torna possível assinar contratos de investimento de até 20 anos.

"A Colômbia é um bom cliente do Brasil. Um país que nunca entrou em default [quando um Estado decide suspender o pagamento de sua dívida pública] e que está preparado para o momento em que for superada a crise financeira internacional", disse ele.

Estados Unidos

O desejo colombiano de aprofundar os laços comerciais com o Brasil coincide com o momento em que o Congresso dos Estados Unidos endurece a aprovação de um Tratado de Livre Comércio (TLC) com o país.

O acordo, assinado em novembro de 2006, segue parado no Legislativo norte-americano, onde deputados e senadores, sobretudo da bancada democrata, pedem esclarecimentos sobre denúncias de organizações internacionais de que há violações dos direitos humanos em território colombiano. Pesam especialmente os episódios de violência praticados contra sindicalistas.

Questionado sobre o assunto, Uribe afirmou que agirá com "paciência e insistência" para obter a ratificação do TLC. "O governo colombiano deve ter paciência e insistência, prudência e perseverança. Em algum momento o acordo chegará", ressaltou.

Ele revelou ainda que gostaria de se reunir "o mais breve possível" com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a fim de discutir o assunto.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h39

    0,17
    3,285
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h41

    0,42
    63.521,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host