UOL Notícias Notícias
 

08/04/2009 - 18h15

Equador defende auditoria que comprova falhas em obra da Odebrecht

ANSA
QUITO, 8 ABR (ANSA) - O governo equatoriano defendeu nesta quarta-feira a auditoria feita pela empresa italiana Electroconsult, que encontrou falhas estruturais na hidrelétrica San Francisco, obra da construtora brasileira Odebrecht.

"Realizamos uma auditoria técnica com uma empresa italiana internacional que atua desde a década de 1950", disse à Gama TV o presidente do Fundo de Solidariedade do Equador, Jorge Glas.

Entre outras irregularidades, o relatório indicou o uso de quantidades menores de materiais no escoramento de um túnel de 11 quilômetros, o que causou prejuízos e a paralisação da usina um ano após sua inauguração.

Por este motivo, no ano passado o presidente do Equador, Rafael Correa, decidiu cancelar todos os contratos que mantinha com a Odebrecht e expulsar do país os representantes da companhia.

Glas defendeu que o informe da Electroconsult, apresentado ontem, tem credibilidade e uma consistência "importante". Ele minimizou o fato de a empresa italiana ter sido contratada pelo governo.

Na terça-feira, o governo equatoriano anunciou que processará a Odebrecht e pedirá US$ 210 milhões de indenização pelo crime de peculato.

Ao fazer o anúncio, Glas afirmou que o resultado apresentado pela Electroconsult mostrou que "a obra não foi concluída e não foi construída conforme as especificações técnicas". Além disso, acusou a empreiteira de "ter fraudado o país".

Em novembro de 2008, também em decorrência das falhas apresentadas pela usina de San Francisco, o governo equatoriano disse que recorreria à arbitragem internacional para contestar a legitimidade de um empréstimo de US$ 243 milhões contraído junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O dinheiro foi usado na construção da hidrelétrica.

Como reação, o governo brasileiro chamou para consultas seu embaixador em Quito, Antonino Marques Porto. No início do ano, contudo, Quito recuou e acabou pagando a parcela do débito que venceria naquela data, o que mais tarde normalizou as relações diplomáticas entre os dois países.

A Odebrecht informou hoje que ainda não recebeu nenhuma notificação do governo equatoriano sobre o processo e indicou que o relatório apresentado foi elaborado de forma unilateral.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h59

    -0,37
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h08

    2,11
    70.081,45
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host