UOL Notícias Notícias
 

28/04/2009 - 10h06

Hugo Chávez se reunirá com Bachelet no próximo mês

ANSA
SANTIAGO, 28 ABR (ANSA) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, se reunirá com sua homóloga chilena, Michelle Bachelet, no próximo dia 18, em Santiago do Chile, para discutir questões políticas e econômicas.

O vice-ministro das Relações Exteriores chileno, Alberto Van Klaveren, afirmou que a visita de Chávez ao país "é um sinal de total normalidade" nas relações bilaterais e faz parte da prioridade que o Chile dá a América Latina.

"São relações muito normais e são reflexos de uma política muito ativa que este governo seguiu em prol das relações com a América Latina", disse o vice-chanceler, explicando que o mandatário venezuelano chegará no dia 17.

Sem informar a agenda que Chávez cumprirá durante a visita, Van Klaveren comentou que os presidentes manterão "um diálogo político, obviamente em espírito pluralista e de pleno respeito mútuo", além de tratarem de temas econômicos, principalmente ligados à energia.

"Todos nós sabemos a importância que a Venezuela tem em matéria de energia, e aqui também há um vínculo interessante entre a Empresa Nacional de Petróleo (Enap) e a Petróleos de Venezuela S.A (PDVSA), que teve o apoio do governo, já que a Enap é uma estatal", enfatizou o vice-ministro.

Segundo Van Klaveren, esta visita era aguardada "há muito tempo" e foi agendada por Bachelet e Chávez durante a 5ª Cúpula das América, que ocorreu em Trinidad e Tobago entre os dias 17 e 19 passados. A viagem de Chávez ao Chile faz parte de um giro do presidente pela região, que inclui escalas no Brasil e na Argentina. No fim do mês, o venezuelano deverá se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Bahia.

Venezuela e Chile enfrentaram uma tensão diplomática no último mês, quando o mandatário venezuelano acusou Bachelet de "colocar em perigo a união da América do Sul", referindo-se à realização da Cúpula de Líderes Progressistas, em Viña Del Mar, e a aproximação do governo chileno com os Estados Unidos e a Grã-Bretanha.

"Há governos que se declaram progressistas que eu não entendo. A presidente do Chile se reuniu em Santiago com o vice-presidente dos Estados Unidos (Joseph Biden) e com o premier britânico (Gordon Brown), dois representantes dos impérios. Não entendo nada. Creio que isto coloca em perigo a união da América do Sul", criticou Chávez enquanto participava da Segunda Cúpula América do Sul - Países Árabes (Aspa), em Doha.

Por sua parte, o governo chileno respondeu que a afirmação do presidente da Venezuela era "completamente inadequada" e que Bachelet era "símbolo de unidade e de diálogo no mundo inteiro".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host