UOL Notícias Notícias
 

19/06/2009 - 11h27

Colômbia aceita críticas da ONU sobre violações dos direitos humanos

ANSA
BOGOTÁ, 19 JUN (ANSA) - Fontes do governo colombiano declararam hoje que aceitam integralmente as acusações de execuções extrajudiciais no país, mas garantiram que no país existe uma "política de tolerância zero às violações dos direitos humanos".

As denúncias foram feitas pelo relator especial da ONU, Philip Alston, que esteve no país por duas semanas, e declarou que o desaparecimento e assassinato de 11 jovens de uma comunidade nos arredores de Bogotá, apresentados pelo exército como supostos guerrilheiros mortos em combate, é apenas "a ponta do iceberg" de crimes dessa natureza.

O funcionário da ONU reprovou a atuação dos militares acusados pelos crimes, e disse que devido à quantidade e área geográfica, as execuções foram planejadas. No entanto, ele ressaltou que essas ações não representam uma política oficial do governo.

Em seu relatório, Alston destacou também o avanço na segurança do país e recebeu o agradecimento do governo colombiano pelo reconhecimento e "esforços de boa fé para investigar e sancionar os responsáveis pelas chamadas execuções extrajudiciais".

O governo lembrou também que foi o primeiro a reconhecer e denunciar publicamente as ações criminais presentes no artigo da ONU e exigir a condenação dos responsáveis pela justiça comum, além de declarar que vigiará o exército para evitar novos casos.

A Colômbia espera agora os relatores da ONU para os direitos dos povos indígenas, independência judicial e defesa dos direitos humanos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host