UOL Notícias Notícias
 

22/06/2009 - 14h21

Argentina-Eleições: País passa por uma 'crise política', diz líder industrial

ANSA
BUENOS AIRES, 22 JUN (ANSA) - O presidente da União Industrial Argentina (UIA), Héctor Méndez, afirmou hoje que seu país atravessa uma "crise política, mais que econômica", referindo-se às eleições legislativas do próximo domingo.

Segundo Méndez, o processo eleitoral ocorre em meio a uma "situação de tensão máxima", ao invés de um clima de "serenidade", já que, a menos de uma semana das eleições, os principais candidatos ao Congresso não param de trocar denúncias e acusações.

"As eleições não são mais que um processo transitório, mas aqui as coisas são tidas como trágicas e isto causa uma tensão", enfatizou. A isso se junta o fato de que na Argentina não existem "alternativas (políticas) ou lideranças importantes", de acordo com o dirigente.

No entanto, por parte do setor industrial, "não há queixas", assegurou Méndez. Mas "os empresários querem que o governo se fortaleça e, ao mesmo tempo, produza as mudanças necessárias", ressaltou.

O presidente da UIA ainda negou ter pedido ao governo uma desvalorização do peso após as eleições. "Não mantenho diálogo com a presidente (Cristina) Kirchner e, além disso, pensar que a desvalorização pode resolver os problemas econômicos atuais seria caprichoso", ressaltou.

Segundo as últimas pesquisas de opinião, o baixo índice de aprovação do governo pode afetar o desempenho de seus candidatos e, pela primeira vez, a presidente Cristina Kirchner corre o risco de ficar sem maioria no Congresso.

As eleições legislativas argentinas do dia 28 de junho renovarão metade da Câmara dos Deputados e um terço do Senado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host