UOL Notícias Notícias
 

02/07/2009 - 13h57

Chanceler italiano apoia discussão sobre formato do G8

ANSA
ROMA, 2 JUL (ANSA) - O chanceler italiano, Franco Frattini, afirmou hoje que a Itália deu o primeiro passo à abertura de um debate sobre o formato mais adequado para enfrentar a crise econômica mundial, ao se referir ao convite feito aos países emergentes para participarem da Cúpula do G8 (grupo dos sete países mais industrializados e a Rússia), que acontecerá na próxima semana.

Brasil, China Índia, México, África do Sul e Egito foram convidados para os trabalhos da próxima Cúpula de líderes do G8, que será realizada entre 8 e 10 de julho, na cidade italiana de L'Aquila.

O ministro das Relações Exteriores da Itália falou hoje sobre o tema logo após a chanceler alemã, Angela Merkel, ter defendido o alargamento do G8, já que, segundo a mandatária, este formato "não é mais suficiente".

Apesar da posição de seu país, Frattini rejeita a ideia de que o G20 (que reúne os países ricos e principais emergentes) substitua o G8. "Não se pode confundir, porque o G20 se ocupa das questões de breve e médio prazo, enquanto o G8 busca estratégias de longo prazo", explica.

O chanceler italiano disse também que a próxima reunião do grupo fará "uma discussão política que incluirá todas as opções" em relação à situação no Irã, mas garantiu que "não serão tomadas decisões".

Segundo ele, é preciso "algum tempo" para serem adotadas medidas em relação à instabilidade política do país, após a contestada reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, e sobre o programa nuclear iraniano.

Assim, o chefe da diplomacia italiana acenou para a possibilidade de que essas atitudes sejam acordadas durante uma reunião de chanceleres do G8 que está marcada para setembro, em Nova York.

Frattini explicou também que, durante a cúpula de L'Aquila, os líderes defenderão que a "política da mão estendida", que rege a postura dos países ricos em relação ao Irã, não será adotada "por tempo indeterminado".

Já a mandatária alemã pediu hoje que os membros do G8 mandem uma mensagem forte e unitária ao Irã durante o encontro na Itália. Merkel comparou a repressão no país do Oriente Médio com a postura do regime comunista na antiga Alemanha Oriental.

A chanceler alemã, que participará do encontro, disse ainda que é preciso "não esquecer" as pessoas que foram presas no Irã, assim como o mundo não deve se esquecer daqueles que ficaram presos na Alemanha Oriental.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host