UOL Notícias Notícias
 

29/07/2009 - 10h32

Cuba diz que 'guerra econômica' com os EUA não acabou

ANSA
HAVANA, 29 JUL (ANSA) - O chanceler cubano, Bruno Rodríguez, considerou que os Estados Unidos mantêm uma "guerra econômica" contra o seu país, "tanto em términos políticos como práticos".

Segundo noticiou hoje a imprensa local, Rodríguez enfatizou que o governo norte-americano continua a "perseguir nossas gestões comerciais no exterior".

Em 2008, segundo o chanceler, as medidas dos EUA custaram a Cuba cerca de US$ 3 bilhões e, em quase 50 anos, desde a imposição do embargo (1962) "ultrapassa o montante de US$ 96 bilhões".

No último dia 14, Cuba e Estados Unidos retomaram, em Nova York, as rodadas anuais de conversações sobre a migração cubana para o território norte-americano, suspensas há seis anos pelo então presidente George W. Bush.

Ontem fontes oficiais norte-americanas anunciaram a desativação do painel eletrônico que funcionava no edifício da Seção de Comércio de Washington em Havana. Mais um sinal de abertura ao diálogo da nova administração dos EUA, de Barack Obama.

Quando foi colocado, sob a gestão de Bush, o placar causou uma forte irritação por parte das autoridades cubanas, que cercaram a sede dos Estados Unidos com cartazes que traziam dizeres contra o então mandatário.

Em frente ao local, foi construída uma praça com bandeiras do país, que impediam a visão do sistema eletrônico.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h49

    0,39
    3,170
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h52

    0,39
    74.735,46
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host