UOL Notícias Notícias
 

27/09/2009 - 14h14

Papa reza missa para 120 mil fiéis na Rep. Tcheca e lembra 'absurdos' do homem

ANSA
BRNO, 27 SET (ANSA) - O papa Bento XVI viajou hoje de Praga a Brno, cidade em que celebrou uma missa para cerca de 120 mil fiéis, em seu segundo dia de visita à República Tcheca.

Antes da cerimônia, que teve início às 10h locais (5h em Brasília) e foi realizada no aeroporto local, o Pontífice percorreu uma distância de 300 metros a bordo do papamóvel, quando foi saudado pelas pessoas presentes.

Embora menos de um terço da população tcheca se declare cristã, a região da Morávia, onde fica a cidade de Brno, tem uma forte tradição católica. Além disso, a missa foi acompanhada também por peregrinos oriundos de Eslováquia, Polônia, Áustria, Alemanha e Ucrânia.

Bento XVI centrou sua reflexão nos "absurdos" que o homem pode cometer quando exclui Deus de seus horizontes. "Os homens, quando excluem Deus do horizonte, podem chegar aos absurdos da história", disse ele, citando como exemplo a experiência do comunismo na República Tcheca.

Em vários momentos da visita, Bento XVI fez referência aos 20 anos da queda do regime comunista no país, que se completam em 2009.

"A experiência da história mostra a que absurdos chega o homem quando exclui Deus do horizonte de suas escolhas e ações", afirmou o Papa, ressaltando que "não é fácil construir uma sociedade inspirada nos valores da bondade, justiça e fraternidade, porque o ser humano é livre e sua liberdade permanece frágil".

O Pontífice afirmou ainda que não se pode ficar "indiferente diante do amor de Deus". Ao se referir mais uma vez ao passado da República Tcheca, que junto à Eslováquia formava a Tchecoslováquia até o fim do regime comunista, o Santo Padre lembrou que nos séculos passados muitas pessoas se sacrificaram "em nome do Evangelho para restaurar a dignidade do homem e a liberdade dos povos".

Bento XVI também mencionou a sociedade atual, em que, segundo ele, o homem muitas vezes rejeita Deus por pensar que pode conduzir projetos apenas com seus próprios esforços. "Mas somente Cristo pode ser a nossa esperança", disse.

Em outro momento, o Santo Padre criticou o desenvolvimento técnico e científico que ocorre sem a ética. "Nós todos sabemos que este progresso é ambíguo, pois abre a possibilidade positiva e uma perspectiva negativa", ponderou.

"As evoluções técnicas e o aprimoramento das estruturas sociais são importantes, e certamente necessárias, mas não suficientes para garantir o bem-estar moral da sociedade", ressaltou.

A cerimônia deste domingo contou com a participação de 50 cardeais e bispos e foi assistida, entre outras autoridades, pelo presidente tcheco, Václav Klaus.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host