UOL Notícias Notícias
 

16/10/2009 - 15h49

Uruguai: Candidato de oposição critica institucionalização excessiva da Am.Latina

ANSA
MONTEVIDÉU, 16 OUT (ANSA) - O candidato de oposição para as eleições presidenciais uruguaias Luis Lacalle afirmou hoje que a União das Nações Sul-Americanas (Unasul) está "definhando" e que o Mercosul é apenas uma "associação econômico-comercial".

"Somos contrários a 'instucionalitis' dos países latinos", continuou Lacalle, que governou o país de 1990 a 1995, referindo-se à institucionalização excessiva da região, com a criação de diversas entidades multilaterais.

Em entrevista para a Associação da Imprensa Estrangeira no Uruguai (Apeu), o candidato do Partido Nacional considerou que "com a OEA (Organização dos Estados Americanos) alcançamos os temas políticos; o Mercosul é uma associação econômica e comercial e não temos usado a Aladi (Associação Latino-americana de Integração) o suficiente".

Caso seja eleito, Lacalle -- que presidia o país na ocasião da formação do bloco incorporado também por Brasil, Argentina e Paraguai -- reiterou que vai se opor a um "Mercosul político" porque "não foi pensado assim" e que não participará do Parlamento do Mercosul (Parlasul).

"Vamos cumprir o que é necessário para a política exterior do Uruguai: cliente de todos, amigo de muitos, aliado de quem convenha, parecido com alguns, mas igual a ninguém", resumiu.

Nesse sentido, o candidato antecipou que buscará potencializar os laços bilaterais, com Argentina e Brasil, países com os quais proporá "um Plano de Desenvolvimento integral do Rio Uruguai".

Sobre a Argentina, nação com a qual o Uruguai mantém um conflito diplomático no Tribunal Internacional de Haia sobre a instalação de uma fábrica de celulose no lado uruguaio da fronteira, Lacalle declarou que quer desenvolver "as melhores relações em tudo, ao invés de seguir brigando".

Internamente, o ex-presidente quer que o Poder Executivo "melhore" o que pode ser melhorado, já que a ideia "é despertar as potencialidades que o país tem adormecidas ou não exploradas", como a inteligência, o solo, sub-solo e o mar.

O eventual governo de Lacalle terá "como princípio a liberdade e como fundamento a certeza jurídica e a eliminação de todos os impedimentos contra os investimentos".

Por fim, sobre seu principal adversário nas eleições presidenciais e favorito nas pesquisas -- José Mujica, da coalizão governista Frente Ampla --, Lacalle considerou que ambos partem "de bases substancialmente distintas" e questionou aspectos do pensamento "castrista, maoísta" do ex-guerrilheiro tupamaro, com quem disse manter diferenças que "têm aumentado" em matéria de política internacional, economia e educação.

A nove dias das eleições presidenciais uruguaias, Lacalle aparece em segundo nas pesquisas de intenção de voto, atrás de Mujica e à frente de Pedro Bordaberry, do Partido Colorado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host