UOL Notícias Notícias
 

19/10/2009 - 17h25

Ministra chilena renuncia para apoiar candidato do governo à presidência

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 19 OUT (ANSA) - A ministra do Serviço Nacional da Mulher do Chile, Laura Albornoz, renunciou hoje ao cargo para se dedicar à campanha do senador Eduardo Frei, candidato da coalizão governista Concertación à presidência do país.

A saída de Albornoz foi confirmada após uma reunião com a presidente Michelle Bachelet no Palácio de La Moneda, sede do governo. Tanto a ministra como Frei pertencem ao Partido Democrata Cristão, integrante da Concertación.

Albornoz chefiava a pasta do Serviço Nacional da Mulher desde o início do governo de Bachelet, em março de 2006.

"Vou apoiar meu candidato, futuro presidente do Chile. Ele solicitou meu apoio e eu, como militante disciplinada da Concertación, irei me somar ao projeto de Frei" e da coalizão, anunciou Albornoz. Ela não confirmou, porém, se outros ministros podem seguir o mesmo caminho.

A maior parte das pesquisas de intenção de voto indica que Frei, que já foi presidente entre 1994 e 2000, ocupa a segunda colocação na disputa eleitoral, atrás do empresário Sebastián Piñera, candidato pela Coalizão pela Mudança, de oposição.

Ontem, o ministro da Fazenda, Andrés Velasco, o mais bem avaliado do gabinete de Bachelet, manteve um encontro com Frei e, em seguida, acompanhou-o em um ato público em um bairro de Santiago.

Assim como Albornoz, Velasco se referiu a Frei como o "futuro presidente do Chile".

Hoje também foi confirmado que a mãe da presidente, Angela Jeria, participará da campanha de Frei. A aliança governista busca, desta forma, transferir ao candidato a popularidade de Bachelet, que atualmente supera a faixa dos 70%. As eleições presidenciais ocorrem no dia 13 de dezembro.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host