UOL Notícias Notícias
 

20/10/2009 - 10h48

México: Governo pede retomada de negociações após fechamento de estatal

ANSA
CIDADE DO MÉXICO, 20 OUT (ANSA) - O governo do México pediu que o Sindicato Mexicano de Eletricistas (SME) reconsiderasse sua postura de abandonar o diálogo após o encerramento das atividades da companhia estatal de energia Luz y Fuerza del Centro (LFC) e a demissão de seus 44 mil trabalhadores.

O Ministério do Interior lamentou "a decisão unilateral de alguns membros do SME de terminar com a mesa de diálogo" e expressou sua preocupação de que isso coloque em risco a construção de alternativas produtivas e laborais para os ex-funcionários da LFC.

Horas antes do anúncio, o sindicato havia deixado as negociações iniciadas com o governo na sexta-feira e advertiu que só voltaria se as autoridades apresentarem propostas viáveis para a resolução do problema.

A LFC, que foi extinta no dia 11 pelo governo federal, detinha o monopólio do fornecimento de energia elétrica na Cidade do México e arredores. A razão alegada para o fechamento da companhia foram a ineficiência e os altos custos, que implicavam em subsídios estatais de cerca de 42 bilhões de pesos por ano (US$ 3,2 bilhões).

Com a liquidação da empresa, 44 mil pessoas perderam seus empregos, o que gerou protestos entre os funcionários sindicalizados. Na sexta-feira, o SME organizou uma manifestação que percorreu as ruas da Cidade do México chegando à Praça da Constituição, onde fica a sede do governo.

Para conter os protestos, os ministérios do Trabalho e da Economia anunciaram no domingo um programa de reinserção no mercado de trabalho dos empregados demitidos. O programa custaria US$ 37,5 milhões e incluiria a concessão de crédito para quem optasse por abrir seu próprio negócio ou bolsa de estudos aos que preferissem fazer cursos de capacitação.

O líder do SME, Martín Esparza, informou que rompeu o diálogo com o Ministério do Interior por considerá-lo "uma farsa". Ele advertiu ainda que o sindicato intensificará seu movimento contra o fechamento da LFC.

O secretário de Governo do Distrito Federal, José Angel Avila, atenuou a ruptura entre governo e trabalhadores dizendo que o SME não abandonou as negociações, mas que está buscando repensar sua participação condicionando-a a um novo interlocutor.

A LFC atendia 25 milhões de pessoas na Cidade do México e em 82 municípios de estados vizinhos. Por enquanto, os serviços da empresa foram assumidos pela estatal Comisión Federal de Eletricidad (CFE), que fornece energia ao restante do país.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host