UOL Notícias Notícias
 

30/10/2009 - 20h50

Micheletti promete 'voltar para casa' se Congresso apoiar Zelaya

ANSA
TEGUCIGALPA, 30 OUT (ANSA) - O presidente de facto de Honduras, Roberto Micheletti, disse hoje que, caso o Congresso decida autorizar o retorno de Manuel Zelaya ao governo, ele se retirará voluntariamente do cargo.

No entanto, o mandatário advertiu que, enquanto o Legislativo não divulgar sua posição, continuará exercendo o poder. "Enquanto não houver uma substituição, tenho a obrigação de seguir na presidência", explicou Micheletti, em entrevista concedida à TV norte-americana CNN em espanhol.

Nessa quinta-feira, após semanas de negociações, os representantes de Zelaya e Micheletti finalmente chegaram a um pré-acordo no qual concordaram em delegar aos parlamentares a decisão final sobre a restituição do presidente, derrubado em um golpe de Estado ocorrido no dia 28 de junho.

O pacto foi costurado com a participação do subsecretário norte-americano para o Hemisfério Ocidental, Thomas Shannon, que chegou a Tegucigalpa na quarta-feira.

À CNN, Micheletti revelou que, assim que a crise for solucionada, e se o parecer do Congresso for favorável ao retorno de Zelaya, ele "irá embora para a casa".

O presidente de facto adiantou, ainda assim, que participará da campanha para as eleições nacionais marcadas para 29 de novembro, nas quais será escolhido o sucessor de Zelaya.

Anteriormente, Micheletti já havia dito que, por ora, a situação de Zelaya, abrigado na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa desde que regressou de surpresa ao país, no dia 21 de setembro, continua sendo a mesma.

"O status do senhor Zelaya continuará sendo o de um visitante na casa do Brasil, e isso logicamente [se manterá] até que o Congresso tome uma decisão", ponderou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host