UOL Notícias Notícias
 

03/11/2009 - 20h28

Equador e Colômbia acordam designar encarregados de negócios até o dia 15

ANSA
QUITO, 3 NOV (ANSA) - Os ministros das Relações Exteriores do Equador, Fander Falconí, e da Colômbia, Jaime Bermúdez, retomaram hoje as negociações para o restabelecimento dos vínculos diplomáticos bilaterais, rompidos há mais de um ano e meio.

O novo encontro ocorreu no município equatoriano de Cotacachi, situado a 60 quilômetros da capital Quito. Entre as decisões acordadas, foi combinado que ambos os governos deverão nomear novos encarregados de negócios para atuar no país vizinho até o dia 15.

Trata-se do primeiro passo para restaurar formalmente as relações, rompidas por Quito depois que um acampamento de guerrilheiros no Equador foi alvo de um bombardeio colombiano, no dia 1º de março de 2008.

Nesta terça-feira, Falconí e Bermúdez reativaram a Comissão Binacional de Fronteira, que tem por objetivo tratar de questões de segurança e integração referentes às áreas limítrofes.

"O Equador tem vontade política de avançar nestes mecanismos de normalização das relações diplomáticas, e nisso colocaremos todo o nosso empenho", disse Falconí.

No entanto, apesar dos avanços no diálogo, as duas delegações optaram por não discutir diretamente assuntos sobre os quais ainda não existe consenso. Em vez disso, preferiram adotar um "protocolo" para analisá-los.

Os temas considerados "sensíveis" são analisados com a mediação da Organização dos Estados Americanos (OEA), representada hoje por seu secretário-geral, José Miguel Insulza, e do Centro Carter.

"Sabemos que existem assuntos sensíveis para os dois países, mas também encontramos uma fórmula para levá-los adiante", ressaltou Bermúdez.

Entre estas questões está a polêmica desatada por duas ordens de prisão emitidas por um juiz equatoriano contra o ex-ministro da Defesa da Colômbia Juan Manuel Santos e o chefe das Forças Armadas deste país, Freddy Padilla de León, ambos acusados de terem planejado o ataque de março de 2008.

Outro tema é a denúncia, feita por Caracas na semana passada, de que o Departamento Administrativo de Segurança (DAS) da Colômbia vinha promovendo ações de espionagem na Venezuela, no Equador e em Cuba.

A reaproximação bilateral teve início no dia 24 de setembro, quando delegações de ambos os países estiveram juntas em Nova York, onde ocorria a Assembleia Geral da ONU.

Posteriormente, no dia 9 de outubro, houve uma primeira reunião na cidade colombiana de Ipiales, perto da fronteira. Naquela ocasião, foi decidido criar três grupos de trabalho, dedicados a questões de segurança, controle da criminalidade e desenvolvimento na área da fronteira e aos chamados temas sensíveis.

Além dos chanceleres, participaram da reunião de hoje os ministros da Defesa do Equador, Javier Ponce, e da Colômbia, Gabriel Silva, e o ministro da Segurança do país anfitrião, Miguel Carvajal.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host