UOL Notícias Notícias
 

16/11/2009 - 21h02

Chanceler argentino ressalta boa relação comercial com Israel

ANSA
BUENOS AIRES, 16 NOV (ANSA) - O chanceler argentino, Jorge Taiana, disse hoje que o intercâmbio comercial do país com Israel dobrou entre 2002 e 2008, o que segundo ele demonstra "o enorme potencial" de ambas as nações.

Durante um seminário empresarial, que coincidiu com a visita que o presidente de Israel, Shimon Peres, faz a Buenos Aires, o ministro declarou porém que tais números, embora crescentes, são ainda relativamente pequenos.

"Duplicou-se o comércio entre 2002 e 2008 e houve grande investimento. No entanto, cremos que as cifras alcançadas são ainda relativamente pequenas em relação ao enorme potencial que há em ambos os países", disse ele.

Taiana indicou que tanto Argentina quanto Israel vêm de ciclos de um forte crescimento econômico, e neste sentido ressaltou que há muitas possibilidades na área comercial.

"Segundo estudos comerciais e de mercado elaborados pela Chancelaria [de Buenos Aires], Argentina e Israel têm grandes possibilidades de ampliar seu intercâmbio econômico em setores como biotecnologia, farmácia e alimentos, entre outros", argumentou.

Mais tarde, durante uma entrevista coletiva conjunta, a presidente argentina, Cristina Kirchner, lembrou a importância da assinatura de um Tratado de Livre Comércio (TLC) entre Israel e Mercosul, bloco que inclui também Brasil, Paraguai e Uruguai.

Para ela, o acordo "é transcendente, já que se trata do primeiro" firmado pelo bloco sul-americano com um país que não faz parte de seu quadro de sócios.

Peres, por sua vez, destacou "a grande capacidade da Argentina em matéria de produtos medicinais". "Este é um dos temas nos quais podemos seguir trabalhando de maneira conjunta", complementou.

Oriente Médio

Ao falar dos conflitos no Oriente Médio, Cristina Kirchner ressaltou que a paz naquela região é fundamental para a constituição de um mundo mais seguro.

"Para nós, a paz no Oriente Médio é uma paz necessária, e se converte em uma questão fundamental para lograrmos um mundo mais seguro", considerou.

A mandatária ressaltou ainda que a Argentina "reconhece o Estado palestino e o direito de Israel de viver dentro de suas fronteiras".

Além disso, voltou a cobrar a extradição de cidadãos iranianos acusados de envolvimento com o atentado contra a sede da Associação Mutual Israelita Argentina (Amia), ocorrido em 1994 em Buenos Aires.

Peres disse que este ataque, que matou 85 pessoas, não pode ser esquecido. Ele também recordou o atentado que, em 1992, destruiu a Embaixada de Israel no país, com 22 vítimas fatais e 200 feridos.

"Não devemos nos esquecer da destruição dos edifícios civis em Buenos Aires, que tiveram como vítimas judeus e não judeus", afirmou.

O governante também manifestou preocupação com o desenvolvimento do programa nuclear iraniano.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host