UOL Notícias Notícias
 

25/11/2009 - 21h27

Em Caracas, Chávez e Ahmadinejad trocam elogios e criticam imperialismo

ANSA
CARACAS, 25 NOV (ANSA) - Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, que se reuniram hoje, trocaram elogios entre si, rejeitaram a acusação de que são "belicosos" e acusaram os Estados Unidos e Israel de serem os verdadeiros agressores.

Em Caracas, Chávez afirmou que Israel é "um braço assassino do império ianque" e retrucou afirmações feitas pelo presidente deste país, Shimon Peres, em sua recente visita à América Latina, quando disse crer que os atuais governos de Venezuela e Irã "desaparecerão em breve" devido à ação de seus povos.

"Tomamos como uma ameaça o que disse o presidente de Israel, e atuaremos em consequência" disso, ameaçou o venezuelano, que rompeu relações com Tel-Aviv após a ofensiva promovida na Faixa de Gaza entre o fim de 2008 e o início deste ano, em que morreram mais de mil palestinos.

Dirigindo-se a Ahmadinejad, Chávez traçou um paralelo entre as críticas feitas ao colega e as que são direcionadas a ele próprio, e lembrou o acordo firmado recentemente pela Colômbia para ceder sete bases militares em seu território aos Estados Unidos.

"Acusam você de ser belicoso e são eles os agressores. O mesmo ocorre com este seu irmão. Aqui, na irmã Colômbia, o império ianque está instalando sete bases militares, mas dizem que sou eu o belicoso, que somos a ameaça, quando somos os ameaçados", ressaltou.

Ahmadinejad, por sua vez, criticou "os que dizem apoiar a paz e os direitos humanos, [mas] instalam bases militares, exportam munições e equipamentos". "Hoje, já não servem armas e munições, ninguém pode impor sua opinião por meio de armas", complementou.

Na Venezuela, seu principal aliado na região, o presidente iraniano encerra seu giro pela América Latina, que incluiu também passagens por Brasil e Bolívia. A viagem a Caracas tem como objetivo aprofundar as relações bilaterais mediante novos acordos na área de comércio.

O encontro dos dois governantes foi marcado também por inúmeros elogios mútuos. "Sou seu irmão e seu amigo, e para mim é uma honra", disse Ahmadinejad, que se referiu ao venezuelano como um "homem que resiste como uma montanha".

"O papel de Hugo Chávez neste segundo despertar dos povos latino-americanos é admirável. É um grande homem revolucionário. Sou seu irmão e amigo, e para mim é uma honra. Vamos ficar juntos até o final", afirmou o mandatário. Já Chávez chamou o colega de "herói" e "gladiador das lutas anti-imperialistas".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host