UOL Notícias Notícias
 

28/11/2009 - 14h20

Partidários de Zelaya voltam a convocar 'boicote' às eleições de Honduras

ANSA
TEGUCIGALPA, 28 NOV (ANSA) - A oposição ao governo de facto de Honduras, liderada pela Frente Nacional de Resistência Contra o Golpe de Estado, reiterou hoje seu chamado aos hondurenhos para que fiquem em suas casas e não participem das eleições deste domingo.

A Rádio Globo local, próxima aos partidários do presidente deposto, Manuel Zelaya, afirmou que o dia das eleições será "tenso" e, por isso, "é preciso tomar cuidado".

"Fique em casa, fazendo um assado, reconciliando-se com a esposa, e tenha em mãos os números dos telefones das organizações de direitos humanos", propuseram hoje os comentaristas da emissora.

A abstenção poderá ser a única chance de Zelaya, que foi destituído de seu cargo em 28 de junho, e desde o mês de setembro encontra-se na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa.

Sem ter conseguido retornar ao poder, o presidente constitucional do país centro-americano mantém seu pedido para que a região não reconheça o pleito que elegerá seu sucessor.

Estados Unidos e outras nações do continente -- como Peru e Panamá -- já anunciaram que reconhecerão as eleições, mas a maioria dos países latino-americanos -- como Brasil, Argentina, Bolívia, Venezuela e Equador -- reivindicam a restituição do mandatário democraticamente eleito.

As eleições de amanhã serão coordenadas pelo regime de facto, nas mãos de Roberto Micheletti. O governante de facto deixou o poder na última semana e disse que retornará apenas após as votações. Na ocasião, ele disse temer ser vítima de um ataque.

Na última semana, aumentaram as ações violentas no país. A Suprema Corte de Justiça e o Canal 10, consideradas favoráveis ao regime golpista, foram alvos de atentados a bombas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host