UOL Notícias Notícias
 

29/11/2009 - 18h12

Chanceler de Zelaya pede à comunidade ibero-americana que condene golpe e eleições

ANSA
LISBOA, 29 NOV (ANSA) - A chanceler de Honduras que foi deposta junto ao presidente Manuel Zelaya, Patricia Rodas, pediu hoje à comunidade ibero-americana que manifeste uma condenação ao golpe de Estado ocorrido em seu país no dia 28 de junho.

Em Portugal, país que visita para participar da 19ª Cúpula Ibero-Americana, Rodas ainda se referiu às eleições presidenciais que ocorrem neste domingo em Honduras, conduzidas pelo regime de facto que assumiu o lugar de Zelaya.

Segundo ela, "é impossível" que a comunidade ibero-americana reconheça os comícios como legítimos. A chanceler qualificou o processo como "espúrio, ilegal e constitutivo de delito".

Rodas, que viajou à Europa como representante do presidente eleito de Honduras, reiterou também que "quase toda a comunidade internacional já se manifestou claramente quanto ao não reconhecimento das eleições e seus resultados".

Neste sentido, a ministra disse esperar da comunidade ibero-americana "a reiteração do apoio manifestado a nossa democracia e a nosso presidente", bem como "uma condenação ao golpe militar e às violações dos direitos humanos" atribuídas ao regime de facto, liderado por Roberto Micheletti.

"É um golpe que praticamente colocou em suspenso a estabilidade democrática do continente, que não pode acabar na impunidade", disse ela.

Embora grande parte da comunidade internacional tenha adiantado que não tratará como legítimo o presidente que sair vitorioso do processo eleitoral deste domingo, por considerar que o mesmo deveria ser coordenado por Zelaya, os Estados Unidos e alguns outros países latino-americanos, como Costa Rica e Peru, garantiram apoio ao pleito.

Sem citar diretamente nenhuma nação ou governo, Rodas falou de "países que em termos reais manifestaram seu apoio [ao golpe] ou tiveram uma posição muito ambígua", e que segundo ela agora se inclinam a reconhecer o resultado das eleições.

No entanto, ela ressaltou que são "atitudes individuais, que representam uma proporção mínima da comunidade internacional".

Arias

Rodas falou especificamente do presidente da Costa Rica, Oscar Arias, que tentou mediar o diálogo entre Zelaya e Micheletti e posteriormente anunciou que respaldaria as eleições.

Para a chanceler, "Arias está reconhecendo o fracasso de sua gestão, e agora segue um discurso nascido em Washington e que também fracassou".

A Cúpula Ibero-Americana ocorre em Estoril, Portugal, entre hoje e terça-feira com a presença de autoridades de 22 países.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h59

    0,10
    3,280
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h03

    1,57
    62.640,60
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host