UOL Notícias Notícias
 

02/12/2009 - 09h35

Itália apoia estratégia de Obama para o Afeganistão e reitera que 'fará a sua parte'

ANSA
ROMA, 2 DEZ (ANSA) - O chanceler italiano, Franco Frattini, afirmou hoje que a Itália compartilha da estratégia do presidente norte-americano, Barack Obama, para o Afeganistão, e reiterou que seu país "fará a sua parte".

"Compartilhamos da estratégia apresentada por Obama" e a "Itália irá contribuir", disse hoje o ministro, ao comentar o anúncio feito na noite de ontem pelo presidente dos Estados Unidos, de enviar mais 30 mil soldados à nação ocupada há oito anos.

Sem quantificar quantos soldados italianos serão destinados ao novo plano da Casa Branca, Frattini reiterou que "a Itália fará a sua parte e espero que os aliados façam tanto quanto nós".

"Tivemos visto respostas incertas por parte da França, um pedido de tempo solicitado pela Alemanha, e talvez uma contribuição mínima do Reino Unido", declarou o chanceler, que pediu aos aliados que "façam muito, muitíssimo, façam como nós".

Sobre o prazo de dois anos para entregar a segurança às autoridades afegãs, também anunciado por Obama, Frattini disse acreditar que 2013 será a data máxima para a "retirada gradual do Afeganistão".

Nesse ponto, o chanceler considerou que o retorno dos militares só poderá ocorrer quando o Afeganistão puder "garantir a sua segurança", o que "não poderá levar muito tempo".

Em discurso na noite de ontem, nos Estados Unidos, o líder norte-americano anunciou que irá enviar 30 mil soldados adicionais a partir do início de 2010. Ele também informou que o processo de retirada deverá ser iniciado em 2011.

De acordo com a nova estratégia, seriam enviados 1.500 homens italianos. Com presença no Afeganistão desde 2004, a Itália mantém atualmente mais de 3.000 soldados no país.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host