UOL Notícias Notícias
 

08/12/2009 - 15h44

Uruguai transfere presidência do Mercosul à Argentina

ANSA
MONTEVIDÉU, 8 DEZ (ANSA) - O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, transferiu hoje a sua colega argentina, Cristina Kirchner, a presidência temporária do Mercosul. A passagem da liderança ocorreu em Montevidéu, durante a 38ª Cúpula de Chefes de Estado do bloco.

"Temos certeza de que está garantida a inteligência, a transparência e o desejo máximo de que a senhora presidente argentina leve adiante este processo de integração tão importante para nossos povos", declarou Vázquez ao entregar o comando do Mercosul à Argentina.

Na reunião, o presidente uruguaio disse ainda que, junto aos outros chefes de Estado do Mercosul, assumia "o compromisso de apoiar, ajudar e desejar sorte" à nova líder do bloco.

Ao discursar durante a reunião, antes da receber a presidência, Cristina enfatizou a importância de que o Mercosul conclua as negociações e feche o acordo comercial com a União Europeia, o que definiu como "um dos desafios" a serem enfrentados.

"Temos de começar com os capítulos em que estamos de acordo e encontrar mecanismos de adaptação competitiva que fixem prazos". Esse acordo "ajudará a abrir oportunidades" ao mercado do nosso continente, opinou a mandatária. Outro tema considerado fundamental por Cristina foi a superação das assimetrias dentro do Mercosul.

"As assimetrias não serão superadas a partir do plano estritamente comercial, mas do valor agregado de produtos que cada um tem em seus países e de complementaridade e integração de nossas economias nas cadeias de valor", afirmou ela.

A nova presidente do bloco regional também voltou a lamentar o golpe de Estado ocorrido em Honduras em 28 de junho, que destituiu o mandatário legítimo, Manuel Zelaya, e ressaltou que "não reconhecerá a legalidade" das eleições desse país, realizadas há pouco mais de uma semana e vencidas pelo candidato Porfirio Lobo.

"Não se reconhecerá a legalidade, nem aqueles que surgiram da ilegalidade. Neste mundo globalizado, os golpes serão de caráter civil e midiático, mas não deixam de ser golpes que não respeitam a ordem democrática e a vontade popular", ponderou Cristina.

Para ela, a crise institucional que afeta Honduras há mais de cinco meses abre um "perigosíssimo antecedente na região".

Cristina também celebrou as vitórias de Evo Morales, reeleito na Bolívia no último domingo, e José Mujica, que assumirá a presidência uruguaia no dia 1º de março de 2010 e foi apresentado nesta terça-feira por Vázquez aos demais mandatários.

A presidente argentina ainda chamou a atenção para o surgimento de "uma zona de paz e democracia" na região, o que atribuiu à consolidação de "governos surgidos de democracias plenas".

Além de Vázquez e Cristina, também compareceram ao encontro o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus homólogos do Paraguai, Fernando Lugo, e da Venezuela, Hugo Chávez.

O Mercosul é formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. A Venezuela está em processo de incorporação, o que ainda depende das aprovações dos congressos de Brasil e Paraguai.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host