UOL Notícias Notícias
 

09/12/2009 - 08h48

Honduras: Porfirio Lobo se reúne com presidentes da Costa Rica e Panamá

ANSA
SAN JOSÉ, 8 DEZ (ANSA) - O presidente eleito de Honduras, Porfirio Lobo, se reuniu com os mandatários do Panamá e da Costa Rica, Ricardo Martinelli e Oscar Arias, respectivamente, a fim de buscar apoio para o seu futuro governo.

Durante o encontro, que ocorreu ontem na capital costa-riquenha, San José, foram abordados temas como a posição dos países latino-americanos em relação à vitória de Lobo nas eleições gerais hondurenhas, realizadas no último dia 29.

Em uma coletiva de imprensa após a reunião, Arias destacou que não se deve "fazer mal ao povo hondurenho, que já sofreu por muitos meses" devido à crise política ocasionada pela deposição do presidente Manuel Zelaya em junho.

O mandatário costa-riquenho foi um dos principais mediadores da tensão e até chegou a apresentar um documento, intitulado Acordo de San José, que previa o fim dos conflitos entre Zelaya e o governo de facto, liderado pelo presidente nomeado pelo Congresso, Roberto Micheletti.

O texto sofreu algumas alterações e, com a ajuda de uma delegação norte-americana, foi aprovado por representantes de Zelaya e Micheletti no último dia 30 de outubro. Alguns dias depois, no entanto, o presidente deposto anunciou o "fracasso" do acordo.

Martinelli, por sua parte, ressaltou a necessidade de anistiar politicamente os envolvidos no golpe de Estado contra Zelaya e os que reivindicam a volta do mandatário ao poder, para que "um povo bom" não continue sendo prejudicado.

Já Lobo ratificou que seu governo, o qual toma posse em janeiro de 2010, quando expiraria o mandato de Zelaya, terá representantes de todos os setores políticos.

Tal declaração é vista como uma tentativa de conseguir apoio da comunidade internacional, já que apenas parte dos países reconhece a eleição de Lobo.

Nações como Venezuela, Brasil, Chile e Equador, além de organismos internacionais, afirmaram que só acatariam o resultado das urnas caso Zelaya fosse restituído até a realização do pleito, cuja data tinha sido agendada antes do golpe de Estado.

O Panamá, por sua vez, foi um dos primeiros países a reconhecer as eleições, ao lado de Estados Unidos e Colômbia.

Logo após ser anunciado vencedor do pleito hondurenho, Lobo informou que receberia a visita de Martinelli.

Segundo informações da Presidência costa-riquenha, o mandatário panamenho realizou uma viagem surpresa ao país vizinho para participar da reunião entre o chefe de Estado eleito e Oscar Arias.

Está previsto para Lobo fazer uma série de viagens a nações latino-americanas, sendo que a próxima será para a República Dominicana, amanhã.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host