UOL Notícias Notícias
 

13/12/2009 - 19h02

Berlusconi sofreu uma fratura no nariz, diz porta-voz do governo

ANSA
ROMA, 13 DEZ (ANSA) - O premier italiano, Silvio Berlusconi, "sofreu uma fratura em um osso nasal, teve fraturas em dois de seus dentes e ferimentos no lábio superior", segundo informou o porta-voz do Governo italiano, Paolo Bonaiuti.

Berlusconi foi agredido no rosto na tarde de hoje, após participar de um comício de seu partido, o Povo da Liberdade (PDL), em Milão. O agressor, identificado por Massimo Tartaglia, lançou uma miniatura de uma catedral contra o primeiro-ministro.

De acordo com o médico Paolo Klun, diretor da área de comunicação do hospital San Raffaele, para onde Berlusconi foi levado, o premier "sofreu uma lesão importante maxilo facial com ferimentos interno e externo no lábio superior, e fraturou dois dentes, um deles em estado grave".

Klun explicou ainda que Berlusconi foi submetido a uma tomografia computadorizada, que "mostrou a fratura de um elemento ósseo do septo nasal. Por isso, a equipe do San Raffaele decidiu mantê-lo por uma noite [no hospital]".

Por sua vez, Boianuti contou que Berlusconi já estava preocupado com a possibilidade de ser vítima de uma agressão. "Enquanto estávamos no carro, indo de Arcore a Milão, Berlusconi me disse várias vezes que estava preocupado pelo clima de ódio e de agressão presente no país".

"Eu procurei acalmá-lo, mas devo dizer que, infelizmente, ele tinha razão. Este ataque violento contra o presidente [do Conselho de Ministros] e contra nosso partido nos preocupa e deve preocupar o país inteiro", completou o porta-voz.

"Hoje é um dia triste para a Itália e todas as forças políticas têm o dever de fazer com que o país não retorne aos anos de violência", disse o presidente da Câmara dos Deputados, Gianfranco Fini, ao expressar sua "firme condenação" a este "gesto de violência que não pode ser justificado".

Para o ministro da Cultura, Sandro Bondi, esta agressão foi "fruto de uma longa campanha de ódio, orquestrada por setores políticos e de meios de comunicação".

"Um ato inaceitável, inqualificável", disse, por sua parte, o presidente (governador) da província de Milão, Guido Podestà, que participou do comício com o premier.

Já o presidente do Senado italiano, Renato Schifani, considerou que este tipo de ação "coloca em risco a convivência democrática no país".

O premier deverá permanecer 24 horas em observação no hospital San Raffaele. Os filhos de Berlusconi -- Piersilvio, Marina, Barbara e Eleonora -- já estão no local, onde também são esperados políticos, amigos e ministros.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h10

    -0,53
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h19

    0,62
    63.621,57
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host