UOL Notícias Notícias
 

14/12/2009 - 21h37

Ataque podia ter matado Berlusconi, diz médico pessoal

ANSA
ROMA, 14 DEZ (ANSA) - O médico pessoal de Silvio Berlusconi, Alberto Zangrillo, disse hoje que o primeiro-ministro italiano poderia ter morrido em consequência da agressão que sofreu ontem, quando teve o rosto atingido por um objeto ao deixar um comício em Milão.

O premier sofreu uma fratura no nariz e teve dois dentes quebrados ao ser atingido por uma miniatura de ferro do Duomo (catedral) de Milão lançada por Massimo Tartaglia, que está preso.

"Se um objeto daquele tipo atingisse áreas mais delicadas, como o olho ou o crânio, poderia resultar em consequências nefastas, como disse o ministro do Interior", opinou Zangrillo, em entrevista ao programa de TV Porta a Porta.

Mais cedo, o ministro do Interior, Roberto Maroni, já havia chamado a atenção para o risco de que o ataque tivesse causado ferimentos mais sérios. "Berlusconi correu o risco de ser ferido gravemente, de ter sido assassinado", declarou o funcionário.

Ao falar sobre o estado de Berlusconi, internado desde ontem no hospital San Raffaele sob observação, o médico afirmou que ele "está mais calmo". Além disso, garantiu que seu quadro clínico é "tranquilizador", mas ainda assim deve ser "monitorado atentamente".

Antes, Zangrillo havia afirmado que o premier italiano permaneceria hospitalizado por pelo menos mais 36 horas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host