UOL Notícias Notícias
 

14/12/2009 - 10h20

Berlusconi continuará no hospital por pelo menos mais um dia

ANSA
MILÃO, 14 DEZ (ANSA) - A equipe médica que acompanha o premier italiano, Silvio Berlusconi, agredido ontem depois de um comício em Milão, informou nesta manhã que ele continuará no hospital San Raffaele por pelo menos mais um dia.

"Amanhã decidiremos, mas não é certo que receba alta porque as consequências são mais graves do que podíamos dizer ontem à noite. Por isso, não se fala absolutamente de liberação pelas próximas 24 ou 36 horas", comunicou o médico particular de Berlusconi, Alberto Zangrillo.

Prestes a entrar no carro após um comício de seu partido, o Povo da Liberdade (PDL), o premier foi atingido no rosto por uma miniatura do Duomo (catedral) de Milão. Ele foi levado ao hospital, onde constatou-se uma fratura no nariz, um corte no lábio superior e dois dentes quebrados.

Ainda ontem, após a realização de uma tomografia, os médicos haviam dito que Berlusconi ficaria em observação por 24 horas.

"Nos reservamos [o direito de] avaliar amanhã. Seguramente não receberá alta durante o dia de hoje", disse hoje Zangrillo, que leu o boletim médico divulgado pelo hospital e respondeu a algumas perguntas dos jornalistas.

Zangrillo também reiterou que o primeiro-ministro italiano não precisará passar por nenhuma intervenção cirúrgica.

De acordo com o boletim, os sinais vitais de Berlusconi foram monitorados constantemente durante a noite e permaneceram estáveis. Também foi constatada uma queda no nível de glóbulos vermelhos no sangue do premier, consequência do intenso sangramento ocorrido após o ataque.

Ainda segundo as informações médicas, Berlusconi está sendo tratado com antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos -- os últimos são necessários para combater a dor sentida pelo premier.

Durante a manhã, o porta-voz do primeiro-ministro, Paolo Bonaiuti, já havia informado que ele estava cansado e sentia dores.

O homem responsável pela agressão, Massimo Tartaglia, já está preso. De acordo com a polícia, ele tem problemas mentais e está em tratamento há dez anos. As primeiras investigações excluem a possibilidade de associação com algum grupo ou organização terrorista.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host