UOL Notícias Notícias
 

14/12/2009 - 20h18

Polícia teria sido avisada sobre ameaça de ataque a Berlusconi

ANSA
ROMA, 14 DEZ (ANSA) - Dois irmãos italianos teriam tentado avisar as autoridades de Milão sobre um homem que ameaçava o primeiro-ministro Silvio Berlusconi momentos antes de ele ser agredido.A informação foi dada pelo programa de auditório Striscia la Notizia, que na noite de hoje teria como convidados justamente as duas testemunhas, cujos nomes não foram revelados.Silvio Berlusconi foi atingido no rosto por uma miniatura de ferro do Duomo (catedral) de Milão ao deixar um comício de seu partido, o Povo da Liberdade (PDL)."Notamos uma pessoa que estava próxima do estande do PDL", relatou um dos irmãos. Segundo ele, o homem "falava de Berlusconi, dizendo que o estava esperando"."Era uma frase claramente ameaçadora, e dava a entender que era alguém desequilibrado mentalmente. À noite, então, o reconhecemos nas imagens das notícias na televisão", disse a testemunha.O agressor é Massimo Tartaglia, de 42 anos. Após o ataque, o premier foi levado para o hospital, onde foi constatado que ele sofreu uma fratura no nariz e um corte no lábio, além de ter dois dentes quebrados."Decidimos informar uma patrulha da polícia que estava parada diante da Galleria di Piazza Duomo", contou um dos irmãos. O policial, porém, que falava ao telefone, mandou-os embora."Esperávamos ao menos uma verificação e, provavelmente, aquilo que aconteceu poderia ter sido evitado", comentou a testemunha.Por sua vez, o estudante de Ciência Política Pierluigi Peri, de 24 anos, contou como viu o ataque acontecer. "O agressor de Berlusconi estava perto de mim, mas inicialmente eu não o tinha notado. Então ouvi o barulho seguido pelo golpe desferido contra o rosto do premier", explicou."Intuí que havia ocorrido algo grave, considerando o grande caos. Então, com a ajuda de outras pessoas que estavam comigo, nós o detivemos e imobilizamos", prosseguiu Peri, referindo-se a Tartaglia.Outro estudante que presenciou a agressão foi Giampiero Iannone, de 28 anos. "Berlusconi estava dando a mão justamente a mim, enquanto tiravam uma foto, quando de repente vi que se agachava", destacou.Iannone afirmou que Tartaglia "gritou algo" enquanto lançava o souvenir. O estudante, contudo, disse não se lembrar das palavras do agressor. "Depois que foi parado, notei que o agressor tinha o olhar perdido e vazio, e olhava como alucinado para as pessoas", ressaltou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host