UOL Notícias Notícias
 

12/01/2010 - 17h37

Imprensa do Equador diz que chanceler renunciou ao cargo

ANSA
QUITO, 12 JAN (ANSA) - A imprensa do equador noticiou hoje que o chanceler do país, Fander Falconí, renunciou a seu cargo devido a divergências com o presidente Rafael Correa sobre o plano de manejo do projeto ecológico Yasuní-ITT.

De acordo com as informações, a demissão não foi publicada de maneira oficial, mas esperava-se que Falconí falasse sobre o assunto com os meios de comunicação.

A iniciativa Yasuní-ITT, impulsionada pelo Ministério das Relações Exteriores, consiste em deixar intocados 846 milhões de barris de petróleo do campo Ishpingo-Tambococha-Tiputini, localizado sob o Parque Nacional Yasuní.

Em troca, o Equador receberá uma compensação internacional equivalente, no mínimo, a 50% do lucro que teria se resolvesse explorar as reservas.

Em seu último informe semanal de trabalho, transmitido no sábado, Rafael Correa disse que o fideicomisso que está sendo negociado com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para armazenar os aportes financeiros ao projeto tinha condições "vergonhosas".

A declaração do mandatário provocou a renúncia do presidente da iniciativa Yasuní-ITT e ex-prefeito de Quito, Roque Sevilla, que desmentiu ter subordinado os interesses nacionais aos dos doadores.

Falconí é a terceira pessoa a ocupar o cargo de chanceler desde que Correa subiu ao poder, em 2007. Ele deveria viajar hoje à Venezuela para preparar a próxima visita que fará o presidente daquele país, Hugo Chávez.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h29

    -0,11
    3,273
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host