UOL Notícias Notícias
 

13/01/2010 - 20h00

Judeus não excluem conversar com Bento XVII sobre beatificação de Pio XII

ANSA
ROMA, 13 JAN (ANSA) - O rabino chefe de Roma, Riccardo Di Segni, disse que a visita que o papa Bento XVI fará à sinagoga da capital italiana neste domingo terá "valor em si como sinal de continuidade" e que não estão descartadas conversas sobre Pio XII.

No último dia 19, Bento XVI assinou o Decreto das Virtudes do religioso, que exerceu seu pontificado entre 1939 e 1958, no que consiste em uma das últimas etapas para a beatificação do papa.

A iniciativa foi criticada pela comunidade judaica, que acusa Pio XII de ter se omitido perante a morte de milhões de hebreus no episódio que ficou conhecido como Holocausto, durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

"Ainda não foi decidido, estamos refletindo, mas, de qualquer modo, durante a visita falarei de Pio XII. Há modos e modos, mas falarei dele", declarou Di Segni. "É preciso ver se ele [Bento XVI] falará também e de que maneira".

Em entrevista ao jornal católico Avvenire, Di Segni explicou que a visita do Papa se coloca na esteira de "um grande gesto executado por João Paulo II" -- o primeiro pontífice a entrar em um templo judeu, a própria sinagoga de Roma, em 13 de abril de 1986.

Sobre o assunto, o rabino chefe da capital italiana disse desencorajar "gestos imprudentes" que deem a questão como resolvida, porque "existem ainda muitos documentos [sobre as ações de Pio XII] a estudar".

"Bento XVI tem uma forte sensibilidade pelo nosso mundo, mas também um pensamento complexo. Juntamente aos aspectos de grande simpatia pela realidade hebraica, também tem momentos de (...) posições que não se encontram a nosso favor", afirmou Di Segni.

Por outro lado, o rabino garantiu que o Pontífice "não é certamente um papa que interrompe o diálogo". "De vez em quando podem ocorrer incidentes e tropeços. O que deve ser forte é a vontade de resolvê-los", completou.

O presidente da comunidade judaica de Roma, Riccardo Pacifici comentou que os hebreus estão entusiasmados com o "privilégio" da visita de Bento XVI à sinagoga.

De acordo com Pacifici, o templo "estará lotado de convidados internacionais". "Isto nos conforta, porque o diálogo, para nós, é uma das coisas mais importantes", lembrou, ressalvando que "é evidente que existem sentimentos diferentes para olhar com respeito".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host