UOL Notícias Notícias
 

14/01/2010 - 16h57

Bachelet pede que chilenos não anulem seu voto na eleição de domingo

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 14 JAN (ANSA) - A presidente do Chile, Michelle Bachelet, pediu hoje que a população do país faça uma "reflexão profunda" e evite os votos brancos e nulos no segundo turno da eleição que definirá seu sucessor, marcado para o domingo.

"Quando alguém vota branco ou nulo acredita que está tomando uma decisão, mas na verdade a decisão está sendo tomada por outros, que vão definir quem é o próximo presidente da República", indicou Bachelet.

Em declarações à rádio Cooperativa, a mandatária ressaltou que "o que está em jogo no domingo é demasiadamente importante: o presidente pelos próximos quatro anos da República do Chile e o tipo de país em que vamos continuar vivendo".

O segundo turno das eleições presidenciais chilenas será disputado pelo opositor e favorito Sebastián Piñera, da Coalizão pela Mudança, e o candidato da aliança Concertación -- a mesma de Bachelet --, Eduardo Frei.

"Quem garante a continuidade de meu governo é o senador Eduardo Frei. Não podemos perder esse impulso de progresso e de justiça que temos tido", declarou a mandatária, reiterando o apoio ao presidenciável, que já chefiou o Executivo chileno entre 1994 e 2000.

Ontem, o deputado independente Marco Enríquez-Ominami, terceiro colocado no primeiro turno do pleito, com 20% dos votos, também garantiu que votará em Frei no domingo. Em resposta, o governista agradeceu a manifestação do candidato derrotado, que é dissidente da Concertación.

"Quero dizer que recebo com humildade, sem nenhum sinal de soberba nem arrogância, o apoio explícito que recebi de Marco Enríquez-Ominami. Na noite do dia 13 de dezembro [data do primeiro turno], dissemos que, por vontade popular, representaríamos 56% de chilenos progressistas e democratas que querem viver em liberdade", destacou Frei.

Já Piñera, durante ato de sua campanha, ainda ontem em Santiago, tentou minimizar a decisão do deputado independente.

"As pessoas que apoiaram Marco são homens e mulheres livres que estão com a mudança e o futuro, não com o passado, nem com os mesmos de sempre. Eles vão votar com a consciência, não se trata de seguir um dirigente", destacou o opositor.

De acordo com uma pesquisa de internções divulgada pela Consultoria Mori, Piñera ainda é o favorito para a disputa eleitoral. O opositor contaria com 50,9% das preferências dos chilenos, contra 49,1% de Frei.

No entanto, a diretora da empresa que realizou o levantamento, Marta Lagos, indicou que, nos últimos dias, o governista "tem diminuído a distância" em relação ao primeiro colocado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h19

    -0,24
    3,262
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h27

    0,11
    63.831,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host