UOL Notícias Notícias
 

14/01/2010 - 20h18

Eleição para presidente do Chile será apertada, diz diretor do Serviço Eleitoral

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 14 JAN (ANSA) - O diretor do Serviço Eleitoral do Chile, Juan Ignacio García, manifestou hoje sua convicção de que o segundo turno das eleições presidenciais chilenas, que ocorre neste domingo, será equilibrado.

A disputa está entre o opositor e favorito Sebastián Piñera, da Coalizão pela Mudança, e o governista Eduardo Frei, da aliança Concertación -- a mesma da atual mandatária, Michelle Bachelet.

García também garantiu que nenhum problema ocorrerá durante o pleito. "Se todos os atores cumprem seu trabalho de acordo com a lei e a boa vontade, haverá um processo eleitoral transparente", afirmou.

O diretor lembrou que na história chilena aconteceram outras eleições apertadas e que chama a atenção o fato de "nenhum resultado" ter provocado "reclamações".

De acordo com as últimas pesquisas de intenção de voto, Piñera está na frente com 50,9% das preferências dos chilenos; Frei possui 49,1%.

García opinou que um fator chave para o resultado do pleito deste domingo será "a abstenção do primeiro turno, que foi de cerca 12,32%, e que agora poderia fazer a diferença".

O voto é obrigatório para todos os chilenos inscritos no registro eleitoral. Os que não comparecerem e não explicarem a falta estarão sujeitos a uma multa de cerca de US$ 230.

O diretor do Serviço Eleitoral explicou também que, segundo a lei, os votos nulos e brancos são considerados não emitidos, por isso não influenciam na porcentagem dos índices obtidos por cada um dos candidatos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host