UOL Notícias Notícias
 

16/01/2010 - 16h25

Chanceler da Itália anuncia plano de evacuação no Haiti

ANSA
CAIRO, 16 JAN (ANSA) - O ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, anunciou hoje que seu governo poderá colocar em prática uma ação para tirar os cidadãos do país europeu que ainda estão no Haiti após o terremoto desta terça-feira.

"Está pronto um plano de evacuação que já nas próximas horas permitirá a 20 ou 30 italianos que pedirem voltar à pátria", comunicou Frattini durante a manhã de hoje.

O chanceler, que se encontra no Cairo, também informou sobre a abertura iminente de uma "unidade de cooperação civil permanente" no Haiti para seguir, nas próximas semanas, o desenrolar da situação do país caribenho.

O terremoto, que alcançou 7 graus na escala Richter, devastou a capital Porto Príncipe e, segundo avaliações da Organização das Nações Unidas (ONU), pode ter matado mais de 50 mil pessoas. Centenas de milhares estão desabrigadas.

Frattini comentou que "continua o estabelecimento das estruturas para as ajudas humanitárias no local". "Estamos começando a distribuição [de artigos de primeira necessidade] junto ao hospital de campo", explicou.

O ministro declarou que amanhã haverá "um encontro telefônico" para coordenar as ações dos 27 países da União Europeia em vista da reunião do bloco que ocorrerá nos próximos dias.

O chanceler comentou ainda o trabalho de busca feito pelos grupos de apoio italianos nas proximidades de Porto Príncipe. Eles procuram os 20 cidadãos do país que estariam na região no momento do terremoto e ainda não foram localizados.

"Temos equipes de imediata intervenção já no lugar, Defesa Civil, Unidade de Crise e Comando Interforças da Defesa. Em alguns casos, nossos homens estão peneirando quase fisicamente as estradas do Haiti para ter notícias sobre os italianos", explicou.

Foram contatados 180 cidadãos; dos 20 ainda a serem localizados, dois já foram declarados desaparecidos. Eles faziam parte da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), cuja sede veio abaixo, soterrando dezenas de pessoas.

Um dos dois é o agrônomo Guido Galli, de 45 anos. No momento, as equipes de socorro buscam por ele sob os escombros do quartel-general da ONU. De acordo com informações, foram ouvidos lamentos de sob as ruínas.

"A ONU nos confirmou que ele estava participando de uma reunião (...) quando houve o terremoto. Sei que encontraram os corpos de alguns funcionários, mas não o dele", informou a irmã de Galli, Francesca, que mora em Florença. Além do agrônomo, há notícias de que um italiano está provavelmente "sob os escombros de um supermercado".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h19

    1,05
    3,179
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h24

    -0,98
    67.924,24
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host