UOL Notícias Notícias
 

05/02/2010 - 16h30

Prefeito opositor reitera chamado para marcha contra governo equatoriano

ANSA
QUITO, 5 FEV (ANSA) - O prefeito de Guayaquil, Jaime Nebot, uma das principais figuras da oposição equatoriana, voltou hoje a convocar a população para uma passeata na quinta-feira. O objetivo é protestar contra a distribuição "injusta" de repasses financeiros que, segundo o político, é realizada pelo governo nacional.

Para o prefeito, a administração "estatista e totalitária" do presidente Rafael Correa está "atacando" a cidade e seu modelo econômico.

"O governo está tirando de Guayaquil o que lhe pertence, como suas rendas, suas obras e seus empregos", afirmou Nebot em entrevista ao Canal Uno.

O prefeito de Guayaquil, cidade localizada a 270 quilômetros de Quito, reclamou que Correa teria "tirado" verbas de seu orçamento.

De acordo com a administração nacional, a distribuição de recursos tem sido realizada de forma equitativa e as manifestações contrárias têm fins políticos.

Nebot também afirmou que não teme o comunismo chinês ou o "socialismo" de Espanha, Brasil ou Chile, mas rejeita o chamado "socialismo do século XXI" pregado pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, aliado de Rafael Correa.

Esta é a terceira marcha convocada pelo governo de Guayaquil contra o governo nacional. As duas anteriores ocorreram em março de 2007 e janeiro de 2008.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host