UOL Notícias Notícias
 

11/02/2010 - 17h50

Aladi pede a empresários que ampliem investimentos no Haiti

ANSA
MONTEVIDÉU, 11 FEV (ANSA) - A Associação Latino-Americana de Integração (Aladi) manifestou hoje sua solidariedade ao Haiti e pediu aos empresários de seus países-membros que retomem e ampliem os planos de investimentos na nação caribenha.

Por meio de um comunicado, a Aladi, cuja sede fica em Montevidéu, capital do Uruguai, reiterou "seu compromisso de ser solidária" ante a tragédia vivida pelo Haiti, onde mais de 200 mil pessoas morreram e milhões foram afetadas pelo terremoto do dia 12 de janeiro.

O Comitê de Representantes da entidade destacou a "participação de seus países-membros na busca de mecanismos de cooperação para dar uma resposta e ajudas de emergência [ao Haiti] diante desta grave e dolorosa situação, como parte de um esforço internacional coordenado".

Além disso, ressaltou a "importância de que seus sócios aprofundem políticas comerciais, financeiras e de investimento em favor do Haiti, com o objetivo de apoiar de maneira efetiva e sustentada sua reconstrução e seu desenvolvimento econômico e social no longo prazo".

Na terça-feira, reunidos em Quito, representantes dos 12 governos que fazem parte da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) aprovaram a criação de um fundo de US$ 100 milhões para financiar a reconstrução do Haiti, o país mais pobre do Hemisfério Ocidental.

Também foi acordado pedir um empréstimo de US$ 200 milhões ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e enviar barracas às pessoas que ficaram desabrigadas em decorrência do tremor, entre outras medidas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h59

    -0,96
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h04

    1,03
    64.419,50
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host