UOL Notícias Notícias
 

12/02/2010 - 09h17

Novo presidente de estatal chilena defende 'continuidade' de metas

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 12 FEV (ANSA) - O novo presidente da estatal chilena Corporação Nacional do Cobre (Codelco), Nicolás Majluf Sapag, ressaltou a necessidade da companhia dar "continuidade aos seus objetivos estratégicos" e ser imune à troca de governo.

Sapag foi designado na última terça-feira ao cargo de titular do Diretório da Codelco pela presidente do Chile, Michelle Bachelet, cujo mandato termina no próximo dia 11. Nesta data, o Executivo do país será assumido por Sebastián Piñera, vencedor do segundo turno das eleições locais, realizado em janeiro.

A mesa diretora da estatal chilena é composta por nove membros, sendo que três deles são cargos de confiança do governo. Além de Sapag, Bachelet designou Alberto Arenas e Andrés Sanfuentes para integrar o Diretório.

O trio exercerá suas funções até 11 de maio, já que Piñera indicará nomes de sua confiança quando assumir a Presidência.

"Nos últimos meses, uma das nossas tarefas será assegurar uma transição que cuide do desenvolvimento da empresa e permita sua projeção no futuro", comentou Sapag.

Para representar o setor trabalhista na mesa diretora, foram nomeados Raimundo Espinoza, presidente da Federação de Trabalhadores de Cobre (FTC) e Jaime Roberto Gutiérrez Castillo, sendo que eles integrarão o Diretório da Codelco até maio de 2012 e maio de 2011, respectivamente.

Espinoza anunciou que "defenderá a empresa nas mãos do Estado" e velará "para que ela seja mais eficiente e competitiva", contrariando os desejos expressados por Piñera de facilitar a entrada de capitais privados na Codelco.

Gutiérrez, por sua parte, disse que estaria disposto a aceitar uma privatização parcial "sob certas condições".

No último dia 19, o governo chileno recusou a proposta de Piñera, que é empresário, de incorporar capital privado à companhia. A Constituição chilena determina que qualquer alteração em relação à Codelco deve ser aprovada pelo Congresso Nacional, onde Piñera, eleito com 51,6% dos votos, não terá maioria.

Para completar o grupo, Bachelet também designou Marcos Lima Aravena, Marcos Buchi Buc, Gerardo Jofre Miranda e Jorge Bande Bruck em representação ao Conselho de Alta Direção Pública.

Cada membro do Diretório possui um tempo de mandato diferente devido à intenção de renovar a mesa gradativamente para que não ocorra nenhuma mudança brusca na Codelco.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h49

    0,66
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h51

    0,65
    65.522,91
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host