UOL Notícias Notícias
 

12/02/2010 - 11h07

Papa diz que aborto, corrupção e drogas ameaçam famílias do Leste Europeu

ANSA
CIDADE DO VATICANO, 12 FEV (ANSA) - O papa Bento XVI disse hoje que, depois do fim do comunismo, as famílias do Leste Europeu passaram a ser ameaçadas pelas "pragas" do aborto, da corrupção, das drogas e do controle de natalidade.

"Infelizmente, no nosso tempo não são poucas as armadilhas sobre a instituição familiar em uma sociedade secularizada e desorientada", declarou o Pontífice ao receber bispos romenos em visita "ad limina" -- que ocorre a cada cinco anos.

"As famílias católicas dos vossos países, que durante o tempo da provação testemunharam às vezes com altos preços a fidelidade ao Evangelho, não são imunes às pragas do aborto, da corrupção, do alcoolismo e da droga, como também do controle dos nascimentos mediante métodos contrários à dignidade da pessoa humana", acrescentou.

Bento XVI explicou que para combater "estes desafios" é necessário "um empenho decidido para favorecer a presença dos valores cristãos na sociedade".

Ainda na audiência de hoje, o Papa afirmou que um "construtivo diálogo entre ortodoxos e católicos" não deixará "de ser fermento de unidade e concórdia" não somente entre os países orientais do continente, "mas também para a Europa inteira".

De acordo com o chefe de Estado do Vaticano, é "particularmente importante" que haja fraternidade entre as duas religiões, de forma a que este sentimento "prevaleça sobre as divisões e divergências e abra os corações à reconciliação".

"Um âmbito de colaboração hoje particularmente importante entre ortodoxos e católicos se refere à defesa dos valores e raízes cristãs da Europa e ao testemunho comum sobre temas como a família, a bioética, os direitos humanos, a honestidade na vida pública, a ecologia", continuou Bento XVI.

Segundo o Papa, o compromisso unitário em relação a tais argumentos oferecerá uma "contribuição importante" ao crescimento moral e civil da sociedade.

A delegação de sacerdotes recebida hoje na Santa Sé era chefiada pelo arcebispo de Bucareste, Joan Robu. A Romênia, localizada no sudeste da Europa, possui uma população de cerca de 21,3 milhões de habitantes -- sendo 87,7% deles ortodoxos e 8,5% católicos.

Convite

Durante a audiência, Robu -- que também é presidente da Conferência Episcopal Romena -- dirigiu um "respeitoso e deferente convite" a Bento XVI para que cumpra "uma peregrinação pastoral" ao país a fim de levar "o abraço de paz da Igreja que preside na caridade".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host