UOL Notícias Notícias
 

18/02/2010 - 19h25

Entidades de Ciudad Juárez reiteram críticas a ações de Calderón

ANSA
CIDADE DO MÉXICO, 18 FEV (ANSA) - Entidades civis de Ciudad Juárez, norte do México, denunciaram hoje a exclusão do tema dos direitos humanos nas mesas de trabalho conduzidas pelo presidente Felipe Calderón para combater a violência na região, que fica na fronteira com os Estados Unidos.

"De maneira arbitrária, a mesa de direitos humanos foi excluída desse processo, confirmando novamente a criminalização das ações propostas pelos defensores dos direitos humanos", declarou o sacerdote Javier Ávila, fundador da Comissão de Solidariedade e Defesa dos Direitos Humanos de Ciudad Juárez.

"Não é possível que se busque soluções de fundo ao gravíssimo problema" do município, considerado um dos mais violentos do mundo, "desqualificando e excluindo as ONGs", complementou ele.

Na segunda visita que fez ao município em uma semana, Calderón anunciou ontem o investimento de US$ 46 milhões na adoção de novas ações na área social.

A verba será usada por meio de um programa destinado a combater a violência na cidade, onde é intenso o confronto entre cartéis de traficantes de drogas.

Em 2009, 2.575 pessoas foram assassinadas em Ciudad Juárez. Até o momento, 230 mortes já foram registradas neste ano.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host