UOL Notícias Notícias
 

25/02/2010 - 09h15

Calderón defende alianças para eleições mexicanas de julho

ANSA
CIDADE DO MÉXICO, 25 FEV (ANSA) - O presidente do México, Felipe Calderón, defendeu as alianças formadas entre o governista Partido da Ação Nacional (PAN) e o centro-esquerdista Partido da Revolução Democrática (PDR), que vêm causando divergências internas em ambas legendas.

Em uma incomum coletiva de imprensa na residência presidencial de Los Pinos, o mandatário enfatizou que tais laços "são legais" e que suas formações são decisões de seu partido, o PAN, e não dele, como titular do Executivo mexicano.

Em certos momentos, no entanto, Calderón comentou que todas alianças têm vantagens e desvantagens e admitiu que se preocupa com possíveis "efeitos que não são os mais desejáveis em um ambiente de construção de acordos".

O PAN e o PDR, que tiveram disputas históricas, como a corrida presidencial de 2006, se uniram para as eleições de julho, nas quais serão escolhidos governadores de 12 dos 32 estados do país.

A aliança tem o objetivo de derrubar a hegemonia do opositor Partido da Revolução Institucional (PRI), que detém a preferência em nove províncias, entre elas Oaxaca, Durango e Puebla.

Vencer o PRI neste pleito seria importante para diminuir o poder da legenda nas eleições presidenciais de 2012.

Os acordos estratégicos, porém, geraram descontentamento em militantes dos dois partidos, entre eles o ministro do Interior do México, Fernando Gómez Mont, que pediu seu desligamento do PAN há algumas semanas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,71
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,12
    68.634,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host