UOL Notícias Notícias
 

01/03/2010 - 11h57

Ministro chileno nega previsão de que recuperação do terremoto custará 10% do PIB

ANSA

SANTIAGO DO CHILE, 1 MAR (ANSA) - O ministro da Fazenda do Chile, Andrés Velasco Brañes, negou as estimativas da companhia norte-americana de avaliações Eqecat, segundo a qual os prejuízos causados pelo terremoto de sábado equivaleriam a 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

"É uma cifra dada a partir do estrangeiro por uma empresa que tem um modelo puramente teórico, sem nenhuma informação de terreno. Nós vamos construir as cifras diretamente das pessoas afetadas, das empresas e dos bairros, e isso não se faz em 24 horas", declarou.

De acordo com as previsões da Eqecat, o abalo sísmico que afetou dois milhões de pessoas e deixou mais de 700 mortos poderia custar ao Chile de US$ 15 bilhões a US$ 30 bilhões, o que contabilizaria entre 10% e 15% PIB.

Em entrevista à rádio Cooperativa, Velasco Brañes pediu tranquilidade e assegurou que há recursos suficientes para ajudar as pessoas necessitadas, e que a Lei do Orçamento considera a eventualidade de gastos especiais.

"Em uma emergência tão grande como esta, onde muita gente perdeu tudo o que tinha e suas casas ficaram destruídas, o principal norte do que o governo está fazendo é ajudar as pessoas. E nisso contamos com recursos e temos os mecanismos legais que nos permitem fazer pagamentos e gastos extraordinários", ressaltou o titular da Fazenda.

Velasco Brañes, que é o ministro mais bem avaliado pelos chilenos, com 61% de aprovação popular, afirmou também que o dinheiro será enviado primeiro aos locais em que houver mais necessidade.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host