UOL Notícias Notícias
 

04/03/2010 - 09h16

Presidente do México pede que população doe dinheiro ao Chile

ANSA
CIDADE DO MÉXICO, 4 FEV (ANSA) - O presidente do México, Felipe Calderón, convidou os cidadãos do país a depositar dinheiro nas contas bancárias voltadas a reunir fundos para ajudar as vítimas do terremoto que atingiu o Chile no sábado.

O mandatário informou que já foram enviados os primeiros equipamentos de colaboração e resgate à nação atingida pelo tremor de 8,8 graus na escala Richter, que deixou pelos menos 802 vítimas fatais e afetou dois milhões de pessoas.

"Oferecemos à presidente Michelle Bachelet todo o apoio que solicitar para que o Chile se recupere o mais rápido possível", afirmou ele em um ato sobre os Jogos Pan-Americanos Gualajara 2011.

Calderón assegurou que seu governo também fornecerá a ajuda necessária para atender aos mexicanos que ainda não conseguiram voltar para casa e estão bloqueados no país sul-americano.

Falando sobre o processo de recuperação das zonas atingidas, Bachelet declarou que o país deverá provavelmente usar empréstimos internacionais. Felipe Larrain, ministro das Finanças do governo eleito de Sebastián Piñera, que toma posse na próxima quinta-feira, havia adiantado que diversas opções de recolhimento de fundos estavam sob estudo.

Enquanto isso, réplicas do terremoto continuam a ser sentidas em várias regiões do Chile. Um novo abalo, que alcançou 5,1 graus na escala Richter, foi registrado às 6h03 (mesmo horário de Brasília) da manhã de hoje em Concepción.

A cidade, segunda maior do país, foi uma das mais atingidas pelo abalo sísmico e vem enfrentando problemas como falta de água, luz e problemas nas telecomunicações. Para conter a onda de saques, o governo decretou um toque de recolher por 16 horas -- até o meio-dia.

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o epicentro da réplica de hoje estava a 35 quilômetros de profundidade dentro do mar, a uma distância de 155 quilômetros de Concepción.

À 1h25 da madrugada, outro forte sismo foi percebido na zona central, afetando as regiões de O'Higgins, Santiago, Valparaíso, Maule e Bío Bío. A magnitude variou entre 2 e 4 graus na escala Mercalli, que tem intensidade máxima de 12.

Ontem, às 22h59 locais, um abalo de 6,1 graus golpeou o país, com epicentro também no mar, a 34 quilômetros de profundidade e 39 quilômetros de distância de Valparaíso.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host