UOL Notícias Notícias
 

04/03/2010 - 13h52

Senado uruguaio recusa moção sobre dissidente cubano

ANSA
MONTEVIDÉU, 4 MAR (ANSA) - O Senado uruguaio recusou uma moção que pedia para o governo cubano "promover o pluralismo político e garantir liberdades", em referência à morte do preso político cubano Orlando Zapata.

A iniciativa, promovida pelos opositores Partido Nacional e Partido Colorado, foi votada na primeira sessão do novo período legislativo, e recebeu o apoio de 13 senadores dos 29 que estavam presente.

O texto foi rechaçado por todos os legisladores da coalizão governista Frente Ampla. De acordo com o senador Alberto Couriel, a decisão foi baseada no fato da moção possuir caráter político, de ataque ao governo cubano, além do aspecto humanitário do assunto.

"Sempre mantivemos uma postura de autodeterminação, e não de intervenção", observou Couriel.

Já o senador do Partido Colorado Ope Pasquet defendeu que o "Uruguai não pode permanecer impassível diante deste acontecimento doloroso, e deve se pronunciar dizendo ao governo cubano as vigências das liberdades e a importância do respeito aos direitos humanos".

Ao fim da sessão, o Senado aprovou enviar o tema para a Comissão de Assuntos Internacionais da Casa.

Zapata morreu no último dia 23 de fevereiro, após 85 dias de greve de fome para pedir melhores condições dos presos e a liberdade dos chamados prisioneiros de consciência. Ele tinha 42 anos e cumpria uma sentença que poderia chegar a até 36 anos por diversos crimes, entre eles o de injúria. O cubano, detido em 2003, fazia parte do grupo de 75 dissidentes.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h39

    0,17
    3,285
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h41

    0,42
    63.521,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host